“É carapau!” A expressão popular pode agora ser colocada mais em prática pelos pescadores portugueses. Após negociações com a Comissão Europeia, avança a TSF, Portugal conseguiu uma exceção para a captura desta espécie: os pescadores que utilizam a arte xávega passam a poder comercializar o pescado do primeiro lance (a primeira ida ao mar), mesmo que o peixe tenha um tamanho inferior ao mínimo de referência das regras comunitárias. De acordo com a TSF, passa assim a ser possível pescar e vender em lota os carapaus pequenos, chamados de “jaquinzinhos”.

Se o barco voltar ao mar uma segunda vez (segundo lance) e 20% dos carapaus tiverem o tamanho abaixo do permitido a venda já não será permitida. A nova permissão foi publicada esta quinta-feira em Diário da República e abrange 50 embarcações.

O comunicado do Ministério do Mar destaca que esta portaria vai ao encontro das pretensões dos pescadores. A monitorização será feita numa parceria entre pescadores e uma comissão criada para o efeito que irá integrar várias entidades desde cientistas a organizações não-governamentais.

A portaria publicada esta quinta-feira destaca que “a pesca com arte-xávega tem uma considerável relevância em termos socioeconómicos para algumas comunidades piscatórias da costa ocidental portuguesa, além de um valor cultural e etnográfico.”