Rádio Observador

Vinho

Blog. O vinho que veio do montado para as bocas do mundo

180

Custa 30 euros e ganhou um prémio internacional tão distinto que, nas palavras do produtor, faz dele o "melhor vinho tinto de lote do mundo". O Blog de Tiago Cabaço nasce em Estremoz desde 2006.

A notícia chegou à caixa de e-mail num tarde aparentemente tão normal como as outras: o vinho Blog bivarietal by Tiago Cabaço 2013 foi considerado “Best in Show – Best Red Blend” nos anuais Decanter World Wine Awards. Trocado por miúdos, esta foi a primeira vez que um vinho de mesa português conquistou uma das distinções mais cobiçadas do setor a nível mundial — ao Observador, o produtor que precisou de umas horas para perceber o que acabara de ganhar explica que o seu vinho pode agora ser apelidado de “melhor vinho tinto de lote do mundo”.

“O nosso vinho [um blend à base das castas alicante bouschet e syrah] foi o vencedor de uma das categorias onde há maior concorrência”, diz Tiago Cabaço ao telefone. Nem de propósito, o resultado em causa implicou a perícia de um júri composto por mais de 200 especialistas e uma exigente prova que passou por três fases.

Tiago Cabaço tornou-se produtor de vinho com apenas 22 anos. Sara Matos / Global Imagens

Se numa primeira fase foram provadas cerca de 17.200 referências — às quais foram atribuídas medalhas de bronze, prata ou ouro –, num segundo momento foram avaliados apenas os vinhos medalhados com ouro, de maneira a atribuir as medalhas de platina. No final, coube ao mesmo júri escolher o melhor vinho em cada categoria. O Blog colheita de 2o13 foi um dos honrados, um vinho de pequena produção (só existem nove mil garrafas) e que está no mercado a 30 euros — de referir que o vinho Madeira Bual de 1987 da casa Cossart Gordon também recebeu um prémio idêntico, na categoria “Best Sweet Fortified”.

O título “melhor vinho tinto de lote do mundo” é chamativo e ajuda a colocar no mapa os vinhos de Tiago Cabaço que, em boa verdade, em pouco mais de 10 anos conseguiu afirmar-se no mercado e ganhar o respeito de outros produtores. Foi precisamente em 2004 que Cabaço decidiu investir num negócio próprio e que leva o seu nome no rótulo. Olhando para trás, parece que nunca houve outro rumo a seguir que não o da viticultura: Tiago Cabaço nasceu e cresceu em Estremoz, entre vinhas dos pais. Em jeito de brincadeira, o produtor assegura que praticamente aprendeu a andar entre os vinhedos, pelo que o cheiro e sabor das uvas estão entre as principais memórias de infância.

A nova adega de Tiago Cabaço foi inaugurada em 2012. © Divulgação

A agricultura que lhe estava no sangue depressa passou para o currículo: com apenas 22 anos de idade, Tiago Cabaço tornou-se produtor de vinho. Adquiriu a Herdade do Trocaleite e, com ela, 80 hectares de vinha. Em 2012, inaugurou a nova adega, situada na Quinta da Berlica, com vista para os castelos de Estremoz e Evoramonte, e recebeu elogios do então Presidente da República, que o apelidou de “representante de uma nova geração de produtores alentejanos”.

A vontade de gerir uma empresa de vinhos surgiu precisamente porque Cabaço queria mostrar ao mundo o seu entender do que é o Alentejo e, em particular, como é esse vinho que nasce em terra de montados e sobreiros. O primeiro Blog — do qual o vinho premiado é “descendente” — surgiu em 2006 e, de lá para cá, tem vindo a ganhar cada vez mais nome. Um ano depois, a empresa começava a beneficiar da consultoria da enóloga Susana Esteban e, atualmente, do catálogo vinícola da empresa constam monovarietais, bivarietais, além de marcas como .Com e Blog. “Temos tentado crescer de uma forma sustentada”, diz o produtor, lembrando que a exportação para 14 mercados está nos 30 por cento.

Tiago Cabaço diz que, felizmente, já não tem conta dos prémios que ganhou, embora garanta que a atual distinção só vem “uma vez na vida”. Para o produtor, o prémio em destaque eleva não só os seus vinhos mas também o nome do Alentejo e de Portugal no sector cada vez mais global dos vinhos. E por mais fronteiras que os seus vinhos ultrapassem, Estremoz será sempre, na opinião de Cabaço, “o coração vinhateiro do Alentejo”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)