O fundo ambiental criado pelo Governo em janeiro aprovou até ao momento projetos no valor de 20 milhões de euros, revelou esta sexta-feira o ministro do Ambiente, sublinhando a área dedicada aos veículos elétricos para uso municipal.

“O fundo ambiental que foi criado em janeiro já conseguiu aprovar projetos no montante superior a 20 milhões de euros e 5,1 milhões de euros foram para a possibilidade de garantir aos serviços municipais, sejam as autarquias, sejam os SMAS, sejam empresas municipais, a possibilidade de adquirir veículos elétricos para a sua frota”, disse o ministro do Ambiente.

João Pedro Matos Fernandes – que participava em Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto, na cerimónia que marcou o arranque da empreitada de requalificação do Areinho de Avintes, uma obra com investimento municipal no valor de 1,5 milhões de euros – destacou que o aviso foi lançado e “num mês e meio 119 autarquias concorreram”.

O ministro do Ambiente adiantou que na segunda-feira foi assinado um memorando de entendimento para concorrer aos EEA Grants (fundo económico do Espaço Económico Europeu que reúne os estados membros da UE e os três países da EFTA), em que “25 milhões de euros estão destinados ao Ministério do Ambiente. E destes, 7,5 milhões são para fazer laboratórios de cidades inteligentes”.

João Pedro Matos Fernandes também frisou que “a descentralização é pilar da reforma do Estado” e, aproveitando o facto de estar junto ao rio Douro, avançou que estão em marcha investimentos na ordem dos 36 milhões de euros, cofinanciados pelo Ministério do Ambiente, em projetos relacionados com o rio.

É da maior importância que estas obras sejam feitas. A qualidade do rio Douro está cada vez melhor. Neste momento os quatro grandes problemas relativos à qualidade dos meios hídricos da Área Metropolitana do Porto estão em resolução”, resumiu.

Em causa intervenções nas Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Matosinhos, com conclusão prevista para o verão, Paços de Ferreira e Valongo com candidaturas aprovadas e “início em breve”, disse o ministro, somando a colocação do intercetor no rio Tinto, Gondomar, cuja execução começou sexta-feira.