A diversidade é um fator-chave para a competitividade das empresas. No setor da Distribuição não é diferente. O empenho em alcançar um capital humano rico e diversificado é real, com a preocupação de criar condições que assegurem a igualdade de oportunidades a todos.

A distribuição é um setor predominantemente feminino. As empresas associadas da APED contam com mais de 69 mil mulheres entre os seus colaboradores. Cerca de 50 por cento destas profissionais têm mais de 35 anos. Os homens, por sua vez, representam 37% do total dos trabalhadores e encontram-se principalmente entre as camadas mais jovens.

Mulheres em todos os patamares hierárquicos

As empresas associadas à APED estão atentas às questões da igualdade e da diversidade, e muitas têm estratégias concretas neste sentido. Em 2015, o Grupo Auchan venceu a Menção Honrosa Prémio “Igualdade é Qualidade”, tendo sido a única empresa do setor privado a ser distinguida pela Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE) e da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG). A distinção deveu-se ao compromisso da empresa com o princípio da igualdade de género, que salvaguarda igualdade nas condições de progressão na carreira e práticas que visam minimizar o impacto do setor de atividade na qualidade de vida dos recursos humanos e suas famílias.

A igualdade de género é também uma preocupação da Sonae. A empresa desenvolve diversas iniciativas a este nível, entre as quais destaca-se o alinhamento com programas internacionais como a Women Initiative. A Sonae também assinou em 2015 um compromisso com o Governo no sentido de manter acima de 30% o nível de representação do género sub-representado no conselho de administração.

Outras empresas do setor da distribuição como o Aki, Calzedonia, Conforama, Dia Minipreço, Fnac, Ikea, Jerónimo Martins, Leroy Merlin, Lojas Francas, Norauto e Salsa também desenvolvem diversas iniciativas no sentido da promoção da igualdade de género.

Aposta na inserção social

A integração de pessoas com deficiência motora e cognitiva faz parte da estratégia da FNAC no âmbito da diversidade e responsabilidade social. A empresa celebra protocolos com o Centro de Reabilitação Profissional da Cercizimbra e AFID, e tem vindo a integrar nalgumas das suas lojas estagiários com handicaps.

A Jerónimo Martins, por sua vez, também desenvolve parcerias com o objetivo de proporcionar acesso ao mercado de trabalho a determinados grupos de cidadãos em situação de especial vulnerabilidade. É o caso dos protocolos estabelecidos com o Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS – Jesuit Refugee Service), a Casa Pia de Lisboa, a Associação Portuguesa do Síndroma de Asperger, a Aldeias SOS, a Rumo – Cooperativa de Solidariedade Social, e o Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Conheça outros resultados do estudo da APED, As Nossas Pessoas – Um retrato social da Distribuição: