O responsável pelas marcas de luxo do Grupo Volkswagen, Oliver Blume, na foto acima, não deixa margem para dúvidas: “Não existem considerações para vender o que quer que seja.”

A afirmação surge na sequência dos rumores que apontavam como provável a venda, por parte do conglomerado germânico, da Bentley e da Bugatti, e em cuja origem estará a (essa sim) provável venda da Ducati, como forma de contribuir para a capitalização de uma empresa que ainda padece dos efeitos do chamado Dieselgate, e dos elevados custos do mesmo decorrentes.

Segundo a agência Reuters, Oliver Blume, que também tem a seu cargo a Porsche, aproveitou a oportunidade para sublinhar, ainda, que a cooperação entre o fabricante de desportivos e a Bentley já gerou mais benefícios em sinergias anuais do que os 100 milhões de euros inicialmente estabelecidos como meta.