O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), Jaime Marta Soares, avisou neste domingo que os bombeiros, apesar de serem os “soldados da paz”, estão dispostos a “desenterrar o machado da paz para fazer a guerra”. “Não o desejo e os bombeiros também não o querem e por favor evitem que tenhamos de o fazer”, disse nas comemorações do Dia Nacional do Bombeiro, em Cascais, depois de ter desfilado um rol de exigências que o Governo não tem satisfeito.

“Porque é que os poderes públicos não respondem favoravelmente às propostas que lhe são apresentadas pela Liga?”, questionou Jaime Marta Soares, perante bombeiros mas também perante a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Marcelo Rebelo de Sousa falou durante breves minutos apenas para dizer que o fazia com “emoção e orgulho”, orgulho de ser Presidente “de uma pátria que tem os melhores bombeiros do mundo”. Constança Urbano de Sousa também elogiou o papel dos bombeiros e salientou a sua importância, mas não respondeu a qualquer crítica ou exigência da Liga.