Cimeiras

Cimeira Ibérica é magnífica oportunidade para potenciar relações excelentes, diz Rajoy

O presidente do Governo de Espanha, Mariano Rajoy, definiu a cimeira ibérica que arranca esta segunda-feira como uma "magnífica oportunidade" para potenciar relações já de si "excelentes".

A 29.ª cimeira Portugal/Espanha decorre esta segunda e terça-feira em Vila Real e é dedicada à cooperação transfronteiriça

DIEGO CRESPO / HANDOUT/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O presidente do Governo de Espanha, Mariano Rajoy, definiu a cimeira ibérica que arranca esta segunda-feira como uma “magnífica oportunidade” para potenciar relações já de si “excelentes” com Portugal.

Na rede social Twitter, o espanhol considerou que esta é uma oportunidade para potenciar “ainda mais” as relações excelentes com Portugal e a “grande sintonia” com o chefe do Governo português, António Costa.

Esta manhã, também no Twitter, e igualmente a propósito do arranque da cimeira ibérica, António Costa mostrou a intenção de afirmar as regiões de fronteira como novas centralidades de um grande mercado ibérico de 60 milhões de consumidores.

“Queremos afirmar as regiões de fronteira como novas centralidades de um grande mercado ibérico de 60 milhões de consumidores”, escreveu o governante, em português e castelhano.

A 29.ª cimeira Portugal/Espanha decorre esta segunda e terça-feira em Vila Real e é dedicada à cooperação transfronteiriça em áreas como energia, infraestruturas e ambiente, arrancando com uma viagem de barco no Douro.

Pelas 12h15 de Portugal (mais uma hora em Espanha), a embarcação aguardava as duas comitivas em Vega Terrón, no lado espanhol, perto da fronteira portuguesa e de Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarda.

A comitiva espanhola, encabeçada por Rajoy, esperou em Salamanca pela delegação portuguesa, que aterrou esta manhã na base aérea da cidade espanhola, deslocando-se posteriormente para a viagem de barco no Douro que marca o arranque oficial dos trabalhos.

A bordo, terão lugar reuniões setoriais entre os vários ministros dos executivos de Portugal e de Espanha, entre os quais se encontram os titulares de pastas como Negócios Estrangeiros ou Defesa.

Ainda no Douro, haverá um almoço oficial da 29.ª cimeira ibérica, chegando as comitivas pelas 16h ao porto da Sra. da Ribeira.

De noite, haverá um jantar reservado, em Vila Real, para finalizar o primeiro dia de trabalhos.

Na terça-feira, as delegações reúnem-se no palácio de Amarante de Vila Real, começando o dia com um encontro empresarial e intervenções dos chefes dos governos de Portugal e Espanha, respetivamente António Costa e Mariano Rajoy.

Depois, as comitivas partem para a Casa de Mateus, onde decorrerá a reunião plenária dos governantes, estando agendada para o final da manhã a conferência de imprensa final dos trabalhos e o fecho da 29.ª cimeira ibérica.

O ‘Brexit’, um debate sobre o futuro da União Europeia (UE), com especial atenção ao reforço da União Económica e Monetária e o reforço da dimensão social da UE são temas que integrarão a agenda de dois dias dos governantes, indicaram fontes dos executivos dos dois países.

As cimeiras ibéricas são reuniões anuais bilaterais realizadas entre o presidente do Governo de Espanha e o primeiro-ministro de Portugal onde se discutem questões de grande interesse para ambos os governos e projetos de cooperação entre os dois países.

Esta será a primeira reunião com António Costa como chefe do Governo de Portugal, já que em 2016 não decorreu a cimeira devido à conjuntura política de Espanha, na altura com um executivo de gestão.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PS

O terrível regresso da "Europa da troika" /premium

Miguel Pinheiro

Nas eleições europeias, o PS é contra a "Europa da troika", contra a "Europa dos populistas" e contra a "Europa do Brexit". Ou seja: é uma soma de confusões, contradições e baralhações.

Venezuela

Um objeto imóvel encontra uma força imparável

António Pinto de Mesquita

Num dos restaurantes mais trendy de Madrid ouve-se o ranger de um Ferrari que para à porta. Dele sai um rapaz novo, vestido com a última moda. Pergunta-se quem é. “É filho de um general venezuelano”.

Venezuela

Um objeto imóvel encontra uma força imparável

António Pinto de Mesquita

Num dos restaurantes mais trendy de Madrid ouve-se o ranger de um Ferrari que para à porta. Dele sai um rapaz novo, vestido com a última moda. Pergunta-se quem é. “É filho de um general venezuelano”.

Enfermeiros

Elogio da Enfermagem

Luís Coelho
323

Muitos pensam que um enfermeiro não passa de um "pseudo-médico" frustrado. Tomara que as "frustrações" fossem assim, deste modo de dar o corpo ao manifesto para que o corpo do "outro" possa prevalecer

Poupança

O capital liberta

André Abrantes Amaral

É do ataque constante ao capital que advêm as empresas descapitalizadas, as famílias endividadas e um Estado sujeito a três resgates internacionais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)