Cimeiras

Cimeira Ibérica. Portugal e Espanha reforçam cooperação na área militar

Os ministros da Defesa de Portugal e Espanha decidiram reforçar a cooperação na área militar, numa declaração conjunta que vai ser assinada terça-feira no âmbito da 29.ª cimeira ibérica.

A declaração conjunta será assinada terça-feira, em Vila Real, por José Azeredo Lopes e Maria Dolores Cospedal Garcia

NUNO VEIGA/LUSA

Os ministros da Defesa de Portugal e Espanha decidiram reforçar a cooperação na área militar, no quadro da União Europeia, ONU e NATO, numa declaração conjunta que vai ser assinada terça-feira no âmbito da 29.ª cimeira ibérica.

Na declaração, divulgada esta segunda-feira à agência Lusa, os dois governos consideram que “a complexidade dos desafios securitários nas fronteiras externas da União Europeia” e a “persistência das ameaças à segurança” dos cidadãos “exigem um empenhamento externo acrescido em missões e operações militares”.

A natureza das ameaças e meios atuais, “caracterizados pela ambiguidade e pela assimetria e pelo crescente recurso ao ciberespaço” só podem ser enfrentados “de forma eficaz no contexto de organizações multilaterais ou coligações multinacionais”, afirmam os dois governantes.

A declaração conjunta, que será assinada terça-feira, em Vila Real, por José Azeredo Lopes e Maria Dolores Cospedal Garcia, identifica oito pontos em que Portugal e Espanha se comprometem a reforçar a cooperação na área da Defesa e militar, incluindo a nível industrial e de partilha de informação.

No quadro da ONU, os dois países decidiram “avaliar, no curto prazo, oportunidades de participação conjunta em missões e operações” daquela organização. Portugal e Espanha reafirmam também a “prioridade estratégica” ao combate ao terrorismo transnacional, decidindo prosseguir em conjunto “o treino das forças armadas iraquianas”, no âmbito da coligação internacional contra o Daesh.

A concertação do apoio à formação de capacidades da guarda costeira nos países do Golfo da Guiné, visando o reforço do combate à pirataria e à criminalidade transnacional, foi outro objetivo estabelecido. No quadro da NATO, ficou estabelecido o empenho dos dois países na “implementação efetiva do Quadro de Adaptação ao Flanco Sul” e, no âmbito da União Europeia, os dois países admitem a “participação conjunta” em “futuros projetos de interesse mútuo”.

No último ponto da declaração conjunta, os dois países comprometem-se a “estudar a realização conjunta” de iniciativas comemorativas do V centenário da primeira viagem de circum-navegação, realizada por Fernão de Magalhães e Juan Sebastian Elcano (entre 1519 e 1522).

A realização de “eventos navais” com a participação das duas Marinhas e “a partilha de recursos museológicos” são algumas das iniciativas admitidas. A 29.ª cimeira Portugal/Espanha, que termina terça-feira, em Vila Real, é dedicada à cooperação transfronteiriça em áreas como energia, infraestruturas e ambiente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)