Ernesto Valverde começou a carreira de sénior no Alavés, em 1983. E passou depois pelo Sestao, também da 2.ª Divisão de Espanha. Apesar de ser baixo para a posição, foi um avançado relativamente conhecido e chegou a internacional por uma ocasião quando brilhava pelo Athl. Bilbao (1990-1996) antes de terminar a carreira no Maiorca. Pelo meio esteve quatro anos na Catalunha: dois no Espanyol, dois no Barcelona. Foi aí que se cruzou com Johan Cruijff. E pode ter sido isso que lhe valeu agora, aos 53 anos, a confiança para assumir o comando técnico dos blaugrana, sucedendo a Luis Enrique.

No primeiro ano pelos catalães, em 1988/89, venceu a Taça dos Vencedores das Taças com o holandês no comando de uma equipa que tinha estrelas como Zubzarreta, Roberto, Eusébio, Bakero, Amor, Beguiristain, Salinas, Gary Lineker ou o nosso bem conhecido Aloísio, central brasileiro que faria carreira no FC Porto. No ano seguinte, já com Ronald Koeman e Michael Laudrup nos blaugrana, ganhou a Taça do Rei. Agora, 27 anos depois do adeus a Camp Nou, regressa com a missão de conseguir o que sempre falhou como jogador – ganhar o Campeonato de Espanha.

A carreira como treinador, ainda que só agora tenha chegado ao topo dos topos, foi mais famosa do que a de atleta: começou em Bilbao, como adjunto e técnico dos B antes de assumir o conjunto principal, e esteve depois no Espanyol entre 2006 e 2008, tendo conseguido chegar a uma final da Taça UEFA. Esteve depois uma época no Olympiacos, fazendo a dobradinha com Campeonato e Taça da Grécia, antes de passar um ano pelo Villarreal e voltar a terras helénicas, ganhando mais dois Campeonatos e uma Taça. Após um ano em Valencia, passou os últimos quatro no Athl. Bilbao, fazendo campanhas interessantes respeitando sempre a regra de utilizar apenas jogadores bascos e conquistando a Supertaça de Espanha em 2015.

Em paralelo, permanece a tendência dos responsáveis do Barcelona em apostarem nos técnicos com ligação a Johan Cruijff. Luis Enrique, por exemplo, não foi treinado pelo holandês, mas baseou os conhecimentos nas lições do mago que passou pela Catalunha nos anos 70 e 80. Tito Vilanova, Pep Guardiola e Frank Rijkaard foram outros nomes nessa linha. Gerardo Martino, em 2013/14, foi a única exceção a esta regra.

“Valverde tem a habilidade, o conhecimento e a experiência que necessitamos no Barcelona. Ele promove os jovens jogadores e conhece a filosofia Barça”, referiu o presidente blaugrana, Josep Maria Bartomeu, no anúncio que antecedeu a apresentação oficial do técnico, na quinta-feira.