Onze pessoas morreram na sequência de uma tempestade que está a atingir Moscovo, capital da Rússia, esta segunda-feira. A informação foi confirmada pelo Comité Nacional de Investigação russo à agência Reuters.

As mortes foram causadas por quedas de árvores e de destroços de edifícios e de outras infraestruturas, tais como paragens de autocarro, segundo a mesma fonte. Sergei Sobyanin, presidente da câmara de Moscovo. Cerca de 69 pessoas ficaram feridas, avança o The Moscow Times.

Uma menina de 11 anos e um homem de 57 estão entre as vítimas mortais. Terão sido atingidos por uma árvore e por uma vedação, avança o The Guardian. A BBC adianta ainda que um idoso foi atingido por destroços de uma paragem de autocarro, acabando por morrer.

Devido aos ventos da tempestade que está a atingir Moscovo, 50 pessoas pediram assistência médica até agora”, disse um porta-voz do departamento de saúde da Câmara Municipal de Moscovo, à AFP.

A capital russa foi atingida por um furacão “sem precedentes”, relata a agência TASS. Os ventos atingiram os 110 quilómetros por hora, algo extremamente raro para a cidade, de acordo com meteorologistas em declarações à BBC.

https://www.instagram.com/p/BUrPq5fFakg/

A queda de árvores e destroços dos edifícios bloquearam também estradas e linhas de comboio e metro. Várias unidades foram chamadas pelos serviços de emergência para remover árvores caídas, garante um porta-voz à AFP.

Há 19 anos que uma tempestade não causava tantos mortos num único dia, em Moscovo. Se for confirmado o número de vítimas mortais, esta será a tempestade mais mortal que atingiu a capital russa, desde que há registos. A última aconteceu em 1998. Entre oito a onze pessoas morreram na sequência de uma tempestade que atingiu a capital.