O vulcão Bogoslof, numa ilha com o mesmo nome no estado norte-americano do Alasca, entrou em erupção no passado domingo levando à emissão do mais elevado alerta da aviação, pelo Observatório Vulcânico do Alasca. O código vermelho foi emitido às 14h49 locais de domingo e baixou para laranja às 21h09 do mesmo dia. A erupção durou 55 minutos.

Partimos para o código vermelho esta tarde [de domingo] por causa de numerosas deteções de relâmpagos e sinais sísmicos crescentes”, explicou Jeffrey Freymueller do Instituto Geofísico da Universidade do Alasca à CNN.

Uma nuvem de cinzas atingiu mais de 10 mil metros de altitude o que provocou perturbações nos voos entre América do Norte e Ásia, já que bastam pouco mais de 6 mil metros de altitude para que os aviões sejam afetados, explica a Bloomberg.

Os aviões foram instruídos para contornar a nuvem cogumelo que se formou, pela Administração Federal de Aviação, uma vez que as cinzas do vulcão podem prejudicar e até mesmo parar os motores dos aviões. Alguns voos chegaram a ser cancelados.

O vulcão Bogoslof tem estado ativo há seis meses. O Observatório Vulcânico do Alasca alertou que explosões adicionais produzidas pela nuvem vulcânica pode ocorrer a qualquer momento.

Já em 2010 uma situação idêntica mas com maiores proporções aconteceu na Islândia, quando o vulcão Eyjafjallajökull entrou em erupção. O vulcão libertou uma enorme quantidade de cinzas que cobriu toda a Europa por vários dias, levando ao encerramento do espaço aéreo europeu durante uma semana. Cerca de 10 milhões de passageiros foram afetados devido ao cancelamento de mais de 100 mil voos. Entre eles o de Cavaco Silva.