Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) lançou uma operação de inspeção na sede da PT Portugal, esta terça-feira, envolvendo dez inspetores. A operação não decorreu apenas em Lisboa, de acordo com o Expresso Diário. Em causa estão numerosas queixas recebidas na ACT, sobretudo de trabalhadores sem função atribuída, no âmbito da nova gestão da empresa pela Altice.

Na edição desta terça-feira, o jornal adianta que as inspeções decorreram desde manhã e chegaram a unidades da PT Portugal pelo menos em Aveiro, Coimbra, Braga, Caldas da Rainha e Torres Vedras. Os trabalhadores terão sido ouvidos um por um. O Observador tentou confirmar junto da PT Portugal e da ACT as informações adiantadas pelo Expresso, mas sem sucesso.

O jornal adianta que algumas das queixas recebidas pela ACT dizem respeito a assédio moral e que o número de trabalhadores sem função (que fazem parte do quadro de mobilidade interna e permanecem sem um cargo atribuído) já terá ultrapassado os 300, sendo muitos deles remetentes destas queixas. Esta não é a primeira vez que a PT Portugal é alvo de ações de inspeção da ACT.

A empresa, comprada pela Altice em 2015, tem estado sob o foco também do debate político e ainda no último debate quinzenal, no Parlamento, o primeiro-ministro foi confrontado com notícias sobre a possibilidade de um despedimento na PT. António Costa respondeu que “o Governo não dará qualquer autorização para que existam esses despedimentos. Nada o justifica. Temos, aliás, a indicação de que já terá havido um desmentido por parte do CEO da Altice”.

Governo não dará autorização para eventual despedimento de três mil trabalhadores na PT Portugal