Cosméticos

Essência. Um novo tipo de cosmético que vai dar que falar

Mais uma tendência a chegar da Coreia e que se está a tornar popular nas marcas europeias. Funciona como um banho de hidratação na pele para ajudar na penetração de todos os cosméticos que usamos.

Autor
  • Helena Magalhães

Provavelmente nunca ouviu falar deste cosmético: essência. Essência de quê?, deve estar a perguntar-se. Mas já tínhamos falado dele em 2015 quando mostrámos a rotina de beleza das mulheres coreanas, conhecidas pela sua pele perfeita. Explicando de forma simples, a essência é um concentrado com textura em spray que mantém a pele húmida e macia. O principal objetivo é, acima de tudo, “encharcar” a nossa pele com humidade (lembre-se que a pele é como uma esponja que, quando molhada, torna-se mais absorvente) para que haja uma melhor penetração dos cosméticos que se aplicam de seguida.

É, por isso, um passo bastante importante na rotina das coreanas que aplicam sempre uma essência antes de qualquer outro produto. Além de hidratarem, as essências também vêm com outros ingredientes que deixam a pele firme e luminosa.

Mas não são as essências iguais aos séruns?

Bem, sim e não. Janet Pardo, vice-presidente de desenvolvimento de produtos da marca Clinique (e que ajudou a criar a essência da marca, ainda não disponível em Portugal mas que pode comprar online) explicou ao site Into the Gloss que os séruns vêm, normalmente, em frascos mais pequenos e com concentrações mais altas de ingredientes muito específicos, ao passo que as essências podem ser embaladas com muitos e variados ingredientes que se vão fundir na pele. As mulheres nos mercados asiáticos são fãs deste tipo de loções aquosas há décadas mas agora que o produto está a ser filtrado para os mercados americanos e europeus, as tecnologias estão a ficar melhores.

Um bom exemplo desta fusão de tecnologias é o novo Essence Concentrée Éclat de Caudalie que acabou de chegar a Portugal, resultado de uma temporada da sua fundadora, Mathilde Thomas, na Ásia. A marca chama-a de essência híbrida, entre uma loção e um sérum, com uma textura aquosa e, consequentemente, rica em ativos. Basicamente, prepara a pele para receber os ativos do sérum (aplicado de seguida) e, desta forma, aumentar a sua eficácia. Ao ficar “encharcada” de humidade, a pele vai absorver muito mais facilmente o que aplicar de seguida.

Como usar uma essência?

Ao invés de colocar num disco de algodão e esfregar na pele (como se faz normalmente com os produtos de limpeza ou o tónico) ou de borrifar e massajar (como faz com o creme ou o sérum), as essências têm uma técnica especifica de aplicação — à moda das coreanas, claro. Coloque um pouco na sua mão e, com a ponta dos dedos, vá pressionando lentamente ao longo do rosto, começando no queixo e movendo para cima. Pode também usar um disco de algodão, desde que aplique com leves pressões.

Na fotogaleria, em cima, veja algumas das essências que já pode encontrar no nosso país para começar a “molhar” a sua pele com ingredientes poderosos.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Liberdades

O medo da liberdade /premium

Paulo Tunhas

O que esta nova esquerda busca não se reduz ao desenvolvimento de um Estado tutelar. É algo que visa a perfeita eliminação da sociedade como realidade distinta do Estado. Basta ouvir Catarina Martins.

25 de Abril

Princípio da União de Interesses

Vicente Ferreira da Silva

O nosso sistema de governo promove desigualdades entre os cidadãos, elimina a responsabilidade dos titulares de cargos públicos e limita as liberdades, os deveres e os direitos fundamentais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)