Numa altura em que passam já 70 anos sobre a fundação daquela que é, muito provavelmente, a mais famosa marca de superdesportivos do mundo, a Ferrari assinala a data, entre outras iniciativas, com a expansão do seu museu oficial, localizado em Maranello, Itália. Sendo que, a par do aumento da área expositiva em mais de 600 m2, o espaço abre as portas a duas novas exposições – “Under the Skin”, ou “Debaixo da Pele”, numa tradução mais literal, e “Infinite Red”, “Vermelho Infinito” em português.

Relativamente ao aumento da área do museu, este foi conseguido através da construção de uma nova ala, com ligação ao edifício principal através de uma extensa fachada em vidro, que veio aumentar em cerca de 600 m2 a área museológica. A qual passa, a partir de agora, a ser de 4.100 m2, 300 dos quais traduzidos num espaço multifuncional, onde passará a ser possível acomodar até 250 convidados para eventos, convenções e actividades educacionais.

A par desta inauguração, a Ferrari deu ainda a conhecer duas novas exposições, cuja abertura das portas esteve a cargo do presidente e CEO da marca do Cavallino Rampante, Sergio Marchionne, do vice-presidente Piero Ferrari, do director do Museu de Design de Londres Deyan Sudjic e do presidente da Câmara de Maranello, Massimiliano Morini.

“Under the Skin” aborda as inovações conseguidas pelo fabricante de Maranello ao longo do percurso, ao mesmo tempo que recorda alguns dos mais emblemáticos automóveis da sua história, como é o caso do 125 S, o primeiro modelo do fabricante. Sendo que, lado a lado com estes, é também possível admirar alguns desenhos técnicos que ajudaram a fazer a história da marca, assim como vários motores.

Já a segunda mostra, “Infinite Red”, tem como principal objectivo celebrar o 70.º aniversário da marca fundada a 13 de Setembro de 1939 por Enzo Ferrari, através da exibição de algumas das mais exclusivas propostas, não só para as estradas do dia-a-dia, mas também para pista, que contribuíram para fazer da Ferrari aquilo que a marca é hoje. Como, por exemplo, alguns dos modelos de competição mais emblemáticos, caso do 500 F2, do F2004 e do F2008 Formula 1, ou ainda do 250 GT Berlinetta Tdf, do 250 GT Berlinetta SWB e do 250 GTO. Já a lembrar a história mais recente, representantes de algumas das séries mais limitadas, como o F50, o Enzo e o LaFerrari, já para não falar no não-homologado para estrada FXX K.

Se faz parte dos seus sonhos conhecer não só o museu, mas também mais acerca da história do Cavallino Rampante, saiba que “Under the Skin” sairá de cena em Novembro deste ano, ao passo que a “Infinite Red” prolongar-se-á apenas mais um mês, ou seja, até ao final de Dezembro.