O Congresso norte-americano emitiu sete intimações esta quarta-feira relacionadas com o caso do tentativa de influência da Rússia nas eleições, dos quais duas são para ouvir o ex-conselheiro para a Segurança Nacional, Michael Flynn, e o advogado de Donald Trump, Michael Cohen.

De acordo com o jornal norte-americano Wall Street Journal, a comissão da Câmara dos Representantes que está a liderar a investigação – a House Intelligence Committee – no Congresso emitiu quatro intimações diretamente relacionadas com a alegada tentativa da parte da Rússia de influenciar a as eleições presidenciais de novembro de 2016, assim como à eventual ligação a elementos da campanha de Donald Trump neste esforço.

Entre elas, estão intimações que têm como alvo Mike Flynn, o ex-conselheiro para a Segurança Nacional de Donald Trump que foi demitido menos de um mês depois de entrar em funções, alegadamente por ter mentido ao vice-presidente sobre a conversa que teve com o embaixador russo, e os seus negócios. Michael Cohen, o advogado de Donald Trump, é outro dos alvos, assim como os seus negócios.

As outras três intimações são dirigidas às agências de informação – NSA, CIA e FBI -, mas neste caso para apurar porque razão os nomes dos membros da campanha de Donald Trump que estão a ser investigados estavam abertos nos relatórios confidenciais que foram distribuídos ainda pela administração de Barack Obama durante o período de transição para a administração Trump.

Na próxima semana, James Comey, o ex-diretor do FBI que foi demitido por Donald Trump, será ouvido na mesma comissão. Comey, segundo o New York Times, irá dizer à Câmara dos Representantes que o Presidente dos Estados Unidos lhe terá pedido para deixar cair a investigação a Michael Flynn.