O ex-diretor da polícia federal norte-americana (FBI) James Comey, demitido em maio último pelo Presidente Donald Trump, vai testemunhar a 8 de junho no Senado sobre a alegada ingerência russa nas eleições presidenciais norte-americanas em 2016. A audição, muito aguardada, será pública e vai decorrer no Comité dos Serviços de Inteligência do Senado (câmara alta do Congresso norte-americano) às 10:00 locais (15:00 em Lisboa), anunciou hoje o comité num comunicado.

Esta iniciativa será seguida de uma outra audição, à porta fechada, diante dos 15 membros republicanos e democratas que compõem o comité, que estão abrangidos pelo dever de sigilo. Durante a audição, é aguardado que James Comey seja questionado sobre um presumível conluio entre os membros da equipa da campanha presidencial de Donald Trump e as autoridades russas.

Comey foi demitido de forma repentina, a 09 de maio, numa altura em que estava a supervisionar uma investigação sobre os alegados contactos mantidos entre a campanha de Trump e a Rússia durante a corrida às presidenciais nos Estados Unidos. O antigo diretor, que não prestou declarações públicas desde a sua demissão, será igualmente questionado pelos legisladores norte-americanos se Trump exerceu algum tipo de pressão sobre o FBI e a investigação sobre a Rússia.

Vários ‘media’ norte-americanos revelaram que o Presidente teria pedido a Comey para terminar as investigações relacionadas com o seu ex-conselheiro de segurança nacional Michael Flynn, acusado de mentir sobre contactos com responsáveis russos e uma das figuras centrais do dossiê russo. Segundo notas pessoais escritas pelo ex-diretor do FBI, o pedido teria sido feito durante uma reunião na Casa Branca, em fevereiro.

Trump nega qualquer interferência, bem como rejeita a ideia de um conluio com Moscovo. Ainda não foi nomeado um substituto de Comey para liderar a polícia federal norte-americana. Foi nomeado entretanto o ex-diretor do FBI Robert Mueller como procurador especial para supervisionar a investigação sobre a alegada interferência russa.