A Federação Nacional da Educação (FNE) anunciou esta quinta-feira uma greve para 21 de junho, época de exames, se não saírem compromissos de uma reunião a realizar com o Ministério da Educação na próxima terça-feira.

A marcação da greve da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) coincide com o anúncio da FNE, que ameaça avançar para uma paralisação no mesmo dia, caso não obtenha respostas do Governo também na próxima semana.

Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof, anunciou que só formaliza a convocatória da greve no dia 6 de junho, em conferência de imprensa no final de um encontro do secretariado nacional.

O Secretário-geral da Fenprof garantiu que, caso a greve não tenha resultados, vai “prosseguir a luta com outras ações a desenvolver não só neste ano letivo como no arranque do próximo. Nogueira deixou ainda um alerta: “É tempo de dar atenção aos professores, de respeitá-los e responder positivamente às suas justas reivindicações”.