Trump recusa acreditar em alterações climáticas, até tirou os Estados Unidos do Acordo de Paris. Mas, enquanto isso, na Antártida, a plataforma de gelo Larsen C está prestes a separar-se. Já só faltam 13 quilómetros para a fissura da plataforma de gelo atingir a outra ponta do bloco de gelo Larsen C. A propagação da fenda tem-se intensificado e a última estendeu-se por 16 quilómetros.

O historial já vem desde 2011 – no entanto, nos últimos 6 meses o ritmo acelerou. Foram 20 quilómetros em dezembro, mais 10 em janeiro, em abril bifurcou-se e em maio cresceu outros 17 quilómetros.

Fenda no gelo da Antártida quase a partir-se. Vem aí um iceberg 300 vezes maior daquele que afundou o Titanic

Apesar de ser frequente a separação de blocos de gelo por causas naturais, a verdade é que a comunidade científica nunca testemunhou nada a este ritmo. A plataforma Larsen C – uma das maiores placas de gelo na Antártida – tem metade do tamanho do Líbano.

O aumento da temperatura na Antártida tem sido objeto de estudo dos cientistas nas últimas décadas. É nos polos do planeta que o aquecimento global é mais sentido – e aqui o degelo é mais acentuado. A situação é preocupante porque serão blocos que se separam de icebergues. A partir daí derretem e aumentam o nível médio das águas do mar.