Um trabalhador da manutenção terá desligado, acidentalmente, o fornecimento de energia ao centro do sistema informático da British Airways desencadeado a falha que causou um caos nos voos da companhia britânica na semana passada e que afetou 75 mil passageiros.

A investigação ao problema deverá focar-se mais em erro humano do que em falha técnica, segundo informação avançada pelo jornal The Times depois de um primeiro inquérito interno ter detetado que o fornecimento de energia elétrica estava a funcionar normalmente.

Uma fonte da British Airways adiantou ao jornal de que corre internamente o rumor de que um fornecedor externo terá desligado o sistema de forma inadvertida enquanto fazia trabalhos de manutenção, informação que ainda não foi confirmada. A crise no sistema informático que cancelou cerca de 700 voos nos aeroportos londrinos de Heathrow e Gatwick foi causada por uma subita perda de energia nos dois principais centros de dados da companhia.

O problema foi agravado quando o sistema foi reiniciado de forma incontrolada o que “desligou” todo o sistema de tecnologias de informação, com a consequente perda de informação sobre os voos, bagagem e passageiros. O incidente pode provocar perdas da ordem das 100 milhões de libras (115 milhões de euros) à transportadora inglesa.