O secretário-geral do PS acusou esta oposição de “andar perdida” e de ter arranjado “um novo discurso” quando percebeu que o “diabo” que havia anunciado “não veio, não está para vir e não vai vir”.

António Costa participou no jantar de apresentação das listas do PS aos órgãos autárquicos de Santarém às eleições autárquicas de 01 de outubro, lideradas por Rui Barreiro, cabeça de lista à câmara escalabitana, que já liderou no mandato de 2001 a 2005.

“Como o diabo não veio, tiveram que arranjar um novo discurso e então agora o novo discurso é absolutamente extraordinário: ‘não, o diabo não veio porque eles afinal limitaram-se a dar continuidade àquilo que nós estávamos a fazer’.

Ora como é que é possível, depois de um ano e meio a dizer, e bem, que estávamos a mudar as politicas que eles estavam a seguir, que estávamos a reverter as medidas que eles tinham tomado, vêm agora dizer que afinal estamos a fazer o mesmo que eles estavam a fazer”, disse.

Sem nunca nomear o líder social-democrata, o discurso de Costa remeteu para as declarações de Pedro Passos Coelho, quarta-feira, em Albufeira, quando este afirmou que o Governo socialista “ao fim de um ano converteu-se” à política que contestava no anterior executivo, nomeadamente de combate ao défice.