Quinze crianças morreram no Sudão do Sul depois de terem tomado vacinas contra o sarampo que não estavam em condições de serem administradas, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Saúde daquele país.

Segundo a mesma fonte, a campanha de vacinação foi mal conduzida e houve erro humano na origem das mortes, porque as vacinas chegaram a ser administradas por crianças de 12 anos e foi usada a mesma seringa para vacinar várias crianças. Além disso, as vacinas foram armazenadas em más condições.

O Governo referiu que todas as crianças que morreram tinham menos de cinco anos e foi criada uma comissão de inquérito para apurar responsabilidades e avaliar eventuais indemnizações às famílias das vítimas.

A campanha de vacinação contra o sarampo no Sudão do Sul tem como objetivo imunizar dois milhões de crianças em todo o país. A Organização Mundial de Saúde está a dar formação a funcionários da saúde e fornece as vacinas ao Governo.