O primeiro-ministro, António Costa, apontou hoje a inovação como “chave” para modernizar todos os setores de atividade e assim resolver finalmente os “bloqueios estruturais” da economia, entrando num “longo período de convergência com a União Europeia”.

“O que me parece capital é que só daremos sustentabilidade ao nosso desenvolvimento fazendo o que fizeram os setores que já recuperaram da crise: assentar o desenvolvimento na inovação. Ela é a chave para setores de tecnologia complexa, mas também para modernizar setores da economia tradicionais”, frisou o governante, em Vila Nova de Gaia, na cerimónia de apresentação da segunda fase do Quadro de Investimento Inteligente daquele município.

Para António Costa, num momento em que o país saiu “do procedimento de défice excessivo”, em que “as instituições europeias dão um sinal de enorme confiança” na economia nacional e “o emprego está numa trajetória muito positiva”, Portugal tem de focar-se “nos bloqueios estruturais da economia”, fazendo “os investimentos certos para continuar ter o mais longo período possível de crescimento e de convergência com a União Europeia”.