Ténis de Mesa

Ma Long campeão do mundo de ténis de mesa, na final mais renhida de sempre

O chinês Ma Long revalidou o título de campeão do mundo de ténis de mesa, em Dusseldorf, Alemanha, numa final emocionante, que só se resolveu pela margem mínima no sétimo 'set'.

A jornada desta segunda-feira, última destes mundiais, também coroou a dupla feminina Ding Ning e Liu Shiwen, o que deixou a China perto do pleno

SASCHA STEINBACH/EPA

Autores
  • Agência Lusa

O chinês Ma Long revalidou esta segunda-feira o título de campeão do mundo de ténis de mesa, em Dusseldorf, Alemanha, numa final emocionante, que só se resolveu pela margem mínima no sétimo ‘set’.

A vitória em Dusseldorf acaba por ser a mais difícil da carreira recheada de títulos de Ma Long, vencedor do seu compatriota Fan Zhendong por 4-3, com os parciais de 7-11, 11-6, 11-3, 11-7, 5-11, 7-11 e 12-10.

A jornada desta segunda-feira, última destes mundiais, também coroou a dupla feminina Ding Ning e Liu Shiwen, o que deixou a China perto do pleno, só lhe faltando o troféu de pares mistos.

Dois anos depois de Suzhou, e um após os Jogos Olímpicos de Rio2016, Long, de 28 anos, continua a ser o ‘rei’ da modalidade, mas agora com Fan Zhendong quase ao seu nível. Repartiram o bronze os perdedores das meias-finais, ou seja, o sul-coreano Lee Sang-su e o chinês Xu Xin.

Veja abaixo o vídeo a luta renhida de Long pelo título:

A já campeã de individuais, Ding Ning, somou novo ouro, agora nos pares com Liu Shiwen. A final, contra mais duas chinesas, Chen Meng e Zhu Yuling, também foi disputadíssima, resolvida com 4-3 (9-11, 11-8, 11-13, 11-8, 11-6, 6-11 e 11-9).

Ding Ning já tinha conseguido no domingo um histórico terceiro título, segundo consecutivo. Mas nunca tinha sido campeã de pares, somando até esta segunda-feira quatro finais perdidas.

Já Liu Shiwen revalida o título que arrecadara há dois anos, então com Zhu Yuling.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Futuro

As novas tecnologias e o futuro do ser humano

Maria de Sousa Pereira Coutinho

A “utopia trans-humanista” reside em se considerar o progresso como uma transformação da nossa concepção de vida e da própria “condição humana”, a fim de se obter um outro ser humano, um “homem novo".

Mundial 2018

O orgulho da Nação /premium

Paulo de Almeida Sande

Eu, português, da Nação dos lusitanos, “Estou Aqui”, sou da têmpera dos antigos Descobridores, sou do tamanho do Cristiano, o melhor do Mundo. Tenho direito a ser feliz. Façam lá o favor de ganhar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)