O Irão apelou esta segunda-feira ao Qatar e aos vizinhos do Golfo para retomarem o diálogo para resolver os seus diferendos, depois da rutura das relações com Doha decidida pela Arábia Saudita e aliados.

“Os vizinhos são permanentes, a geografia é imutável. A coerção nunca é a solução. O diálogo é imperativo, particularmente durante o Ramadão”, afirmou num ‘tweet’ o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohammad Javad Zarif.

Zarif falou hoje ao telefone com o homólogo do Qatar e também com os chefes da diplomacia da Argélia, Indonésia, Iraque, Líbano, Malásia, Omã, Tunísia e Turquia.

Anteriormente, o porta-voz do ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Bahram Ghasemi, tinha afirmado num comunicado que “a resolução dos diferendos” entre o Qatar e os vizinhos do Golfo “não era possível senão pelos meios políticos e pacíficos e um diálogo franco entre as partes”, condenando o uso de sanções como “ineficaz” e “inaceitável”.

A Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos e o Bahrein cortaram relações hoje com o Qatar e decidiram nomeadamente fechar os seus espaços aéreos e as suas fronteiras terrestres e marítimas com este pequeno mas muito rico emirado petrolífero e de gás do Golfo.

O Irão está “inquieto” com a situação agora criada e “pede a todos” para “tirarem partido das experiências amargas na região e evitarem a emoção”, afirmou Ghasemi.