Rádio Observador

Mundo

Barack Obama e Justin Trudeau reencontram-se em Montreal para um jantar

Barack Obama, que está de visita ao Canadá, jantou esta quarta-feira com Justin Trudeau, num restaurante em Montreal. No Twitter, o primeiro-ministro canadiano agradeceu a visita à sua terra-natal.

Os dois jantaram no restaurante Liverpool House (um dos favoritos de Trudeau), no bairro de St. Henri

Justin Trudeau (Facebook)

Barack Obama está de visita ao Canadá e aproveitou a oportunidade para se encontrar com o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau. Os dois jantaram no restaurante Liverpool House (um dos favoritos de Trudeau), no bairro de St. Henri em Montreal, na noite de quarta-feira e fizeram questão de partilhar o momento nas redes sociais.

“Esta noite em Montreal, Barack Obama e Justin Trudeau discutiram o seu compromisso para com o desenvolvimento da próxima geração de líderes”, escreveu a Obama Foundation no Twitter, onde divulgou uma fotografia de Obama e Trudeau sentados à mesa e absorvidos pela conversa.

Uma outra imagem foi partilhada pelo primeiro-ministro canadiano nas redes sociais. “Como levar os jovens líderes a agirem?”, escreveu Trudeau, agradecendo a Obama a visita à sua terra-natal, Montreal.

O ex-presidente dos EUA viajou até Montreal a convite da Câmara do Comércio da cidade, onde falou perante uma plateia de seis mil pessoas esta terça-feira. De acordo com o presidente, Michel Leblanc, o convite foi dirigido a Obama quando ele ainda estava na Casa Branca. Só que a resposta tardou: só chegou há cerca de um mês.

Durante o discurso — o primeiro fora dos Estados Unidos desde que deixou a Casa Branca –, Barack Obama falou da ameaça terrorista e da ascensão do populismo, defendendo que a única hipótese de um futuro melhor passa por manter a ordem internacional, estabelecida desde a Segunda Guerra Mundial. “Os Estados Unidos e o Canadá ajudaram a tornar o mundo mais seguro, justo e próspero”, disse, citado pelo Montreal Gazette. “A nossa história, os nossos esforços, respondem ao mesmo conjunto de valores.”

Obama referiu, ainda que de forma breve, a decisão de Donald Trump de sair do Acordo de Paris, firmado quando era ainda Presidente. Apesar de estar “desapontado”, o ex-governante garantiu que o tratado “histórico” irá sobreviver à saída dos Estados Unidos. Mas as coisas terão de ser feitas com “mais urgência”.

Em Paris, reunimo-nos em torno do acordo mais ambicioso na história do combate às alterações climáticas. Um acordo que, mesmo com a ausência temporária da liderança dos Estados Unidos, irá dar aos nossos filhos uma hipótese para lutar”, disse, de acordo com a BBC.

Admitindo que é perigoso duvidar da democracia, Barack Obama defendeu que é importante que aqueles que acreditam nos valores democráticos falem com “convicção”. “É a nossa única hipótese, foi isso que nos trouxe até aqui.”

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)