O primeiro-ministro, António Costa, avisou esta sexta-feira que investir na qualificação é a forma de proteger o futuro e evitar que um dia os robots substituam as pessoas na execução do trabalho menos qualificado.

“Para a proteção do nosso futuro é necessário investir na qualificação porque qualificados temos hipótese de controlar os robots que vão substituir o trabalho menos qualificado, não nos qualificando arriscamos um dia a ser substituídos pelos robots”, alertou António Costa, em Braga, numa intervenção na cerimónia de inauguração de um novo centro tecnológico.

Para o líder do executivo, a “luta é simples” e o resultado tem que ser claro: “nós temos que ganhar aos robots e a forma de ganhar aos robots é sermos nós a controlarmos os robots e não nos colocarmos na situação de sermos controlados pelos robots”, disse.

O líder do executivo participou depois na cerimónia de encerramento do congresso que assinalou os 25 anos do Eixo-Atlântico, na qual afirmou que o futuro da Europa está em aberto, “mais ainda depois da noite passada”, numa referência implícita às eleições legislativas no Reino Unido.