O militar Tiago Silva Portela é condecorado este sábado com a Medalha de Mérito Militar (4.ª classe) pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, pelos seus “elevados conhecimentos técnicos que contribuíram para o sucesso da sua força”.

Tiago Portela é primeiro-cabo e condutor de uma viatura blindada de rodas Pandur e natural do concelho de Baião. A cerimónia decorre no âmbito das comemorações do dia 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Tiago Portela em serviço (Facebook)

A Presidência da República justifica a condecoração do jovem militar com a “sua excecional conduta” e por ser “um distinto exemplo da competência e brio do soldado português”.

Pela sua antiguidade, comandou a sua Esquadra de Atiradores em variadas operações e ações de patrulhamento, constituindo-se um elemento de distinta confiança.”

Tiago Portela regressou recentemente a Portugal de uma missão da NATO no Kosovo, da NATO Response Force (NRF). O objetivo da NRF é de conseguir dar uma resposta rápida e eficaz sempre que for necessário. A NRF participa em operações de controlo de crises, missões de manutenção de paz (como no Kosovo) e em socorro de desastres naturais.

A medalha que recebe — de Mérito Militar — distingue-o por revelar “excecionais qualidades e virtudes” e que reforçam constantemente “elevados dotes de carácter, lealdade, abnegação, sacrifício, obediência e competência profissional”, segundo o comunicado da Presidência.

São igualmente condecorados no sábado o capitão-tenente Mário Cortes Sanches e o sargento-chefe António Barreiros. Mário Sanches recebe a Medalha de Mérito Militar de 2.ª classe pela sua “assinalável sólida formação militar e de carácter” onde realça “a perserverança, determinação, espírito de iniciativa e a permanente disponibilidade e capacidade”.

Já António Barreiros soma 30 anos de serviço e é condecorado com a Medalha de Serviços Distintos Grau Prata pela “sua carreira e missões de salvamento de vidas humanas”, nomeadamente a realizada a 18 de agosto de 2008, em que recuperou 14 trabalhadores de um farol no Douro.

As cerimónias do 10 de junho decorrem no Porto entre esta sexta-feira e sábado e continuam em São Paulo e no Rio de Janeiro até dia 11, junto das comunidades portuguesas e lusodescendentes.