10 de junho

Marcelo vai condecorar jovem militar de Baião por “excecional conduta”

904

Um jovem militar de Baião, Tiago Silva Portela, recém-chegado de uma missão no Kosovo, vai ser condecorado este sábado por Marcelo Rebelo de Sousa nas comemorações do 10 de junho, no Porto.

Tiago Portela demonstrou "excecionais qualidades e virtudes"

TIAGO RAFAEL PORTELA/FACEBOOK

O militar Tiago Silva Portela é condecorado este sábado com a Medalha de Mérito Militar (4.ª classe) pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, pelos seus “elevados conhecimentos técnicos que contribuíram para o sucesso da sua força”.

Tiago Portela é primeiro-cabo e condutor de uma viatura blindada de rodas Pandur e natural do concelho de Baião. A cerimónia decorre no âmbito das comemorações do dia 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Tiago Portela em serviço (Facebook)

A Presidência da República justifica a condecoração do jovem militar com a “sua excecional conduta” e por ser “um distinto exemplo da competência e brio do soldado português”.

Pela sua antiguidade, comandou a sua Esquadra de Atiradores em variadas operações e ações de patrulhamento, constituindo-se um elemento de distinta confiança.”

Tiago Portela regressou recentemente a Portugal de uma missão da NATO no Kosovo, da NATO Response Force (NRF). O objetivo da NRF é de conseguir dar uma resposta rápida e eficaz sempre que for necessário. A NRF participa em operações de controlo de crises, missões de manutenção de paz (como no Kosovo) e em socorro de desastres naturais.

A medalha que recebe — de Mérito Militar — distingue-o por revelar “excecionais qualidades e virtudes” e que reforçam constantemente “elevados dotes de carácter, lealdade, abnegação, sacrifício, obediência e competência profissional”, segundo o comunicado da Presidência.

São igualmente condecorados no sábado o capitão-tenente Mário Cortes Sanches e o sargento-chefe António Barreiros. Mário Sanches recebe a Medalha de Mérito Militar de 2.ª classe pela sua “assinalável sólida formação militar e de carácter” onde realça “a perserverança, determinação, espírito de iniciativa e a permanente disponibilidade e capacidade”.

Já António Barreiros soma 30 anos de serviço e é condecorado com a Medalha de Serviços Distintos Grau Prata pela “sua carreira e missões de salvamento de vidas humanas”, nomeadamente a realizada a 18 de agosto de 2008, em que recuperou 14 trabalhadores de um farol no Douro.

As cerimónias do 10 de junho decorrem no Porto entre esta sexta-feira e sábado e continuam em São Paulo e no Rio de Janeiro até dia 11, junto das comunidades portuguesas e lusodescendentes.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
10 de junho

Um dia contra Portugal? /premium

Rui Ramos
1.266

Catarina Martins não quer ver "reconhecida" a "enorme violência da expansão portuguesa", quer apenas usar a história para deslegitimar os regimes ocidentais -- e só esses.

Inovação

Dados, o novo ouro dos tolos

Miguel de Castro Neto

Os dados em si não possuem valor, o valor decorre do seu uso ou, mais concretamente, quando através do seu processamento somos capazes de criar informação que suporta a tomada de decisão.

Inovação

O papel e o valor das Cidades em Portugal

Bruno Curto Marques

No Portugal do século XXI, a estratégia para as cidades passa menos por escrever e reescrever os tradicionais planos estratégicos de desenvolvimento, e olhar para as cidades de outra forma.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)