O próximo Salão Automóvel de Tóquio, com realização prevista para o período entre 27 de Outubro e 5 de Novembro, será um evento dedicado à conectividade no automóvel e a todas as tendências “para além do motor”. Sendo, no entanto, já certo que entre os fabricantes que procurarão dar a conhecer as suas mais recentes conquistas nestes domínios não estarão os três gigantes de Detroit: General Motors (GM), Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e Ford Motor Company. Ao que consta, não propriamente por questões relacionadas com o wireless

A verdade é que, especialmente no caso da GM e da Ford, a decisão não se trata propriamente de uma novidade, já que ambos os construtores não marcam presença no certame nipónico há quatro edições. Aliás, como justificação para aquele que será o quinto ano consecutivo de ausência estará o facto de, no caso da Ford, ter abandonado o mercado nipónico em 2016, deixando de comercializar aí carros. Já a GM mantém-se, mas como uma marca de nicho, com as suas vendas centradas na mais na luxuosa Cadillac, assim como em alguns Chevrolet Corvette e Camaro.

Quanto à FCA, que em 2015 tinha sido o único fabricante norte-americano a marcar presença em Tóquio, com a Jeep, este ano nem mesmo essa representação terá. Com os concessionários japoneses a avançarem como (fraca) explicação a necessidade de focarem os seus esforços no marketing, visando uma futura maior implementação. Recorde-se que a Jeep é, actualmente, a marca norte-americana de maior sucesso no Japão, ocupando o 7.º lugar entre os fabricantes estrangeiros.