Rádio Observador

Angola

UNITA lança apelo urgente por donativos que permitam fazer campanha eleitoral “digna”

Raúl Danda, vice-presidente do partido angolano fez um apelo por "meios financeiros" que permitam à UNITA "realizar uma campanha eleitoral digna desse nome". As eleições estão marcadas para agosto.

As eleições gerais angolanas estão marcadas para 23 de agosto

PAULO NOVAIS/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) lançou um apelo urgente por donativos que permitam ao partido, o maior da oposição, realizar uma campanha eleitoral “digna desse nome”. O apelo consta de uma mensagem que está a ser enviada a militantes e população, assinada pelo vice-presidente do partido, Raúl Danda, que é também o número dois da lista da UNITA às eleições gerais de 23 de agosto e, por isso, candidato, por eleição indireta, ao cargo de vice-Presidente da República.

Na mensagem, à qual a Agência Lusa teve acesso, Raúl Danda afirma que os angolanos “têm estado a viver momentos de verdadeiro sacrifício, com carências de tudo ou de quase tudo” e que “é urgente mudar a situação”. “Neste momento, a UNITA é indubitavelmente a força política melhor posicionada para operar essa mudança, para que os angolanos conheçam dias melhores. Mas, para isso, a UNITA precisa urgentemente de meios financeiros que lhe permitam realizar uma campanha eleitoral digna desse nome”, escreve o vice-presidente do partido liderado por Isaías Samakuva, que concorre ao cargo de Presidente da República.

A Lusa noticiou na quinta-feira que as seis forças políticas angolanas com listas aprovadas às eleições gerais vão receber do Estado mais de 5,5 milhões de euros para financiamento da campanha eleitoral. Segundo um decreto assinado pelo Presidente angolano, a que a Lusa teve acesso, a verba aprovada é para “financiamento, de modo equitativo, da campanha eleitoral dos partidos ou coligações de partidos políticos com as candidaturas definitivamente aprovadas pelo Tribunal Constitucional”.

A verba em causa é fixada em 1.040 milhões de kwanzas (5,5 milhões de euros), de acordo com o documento, que aprova igualmente a abertura de um crédito adicional ao Orçamento Geral do Estado para o Ministério das Finanças, “para o pagamento da referida despesa”.

A UNITA vai figurar na primeira posição do boletim de voto nas eleições gerais de 23 de agosto, tal como aconteceu na votação de 2012. O sorteio realizado na terça-feira pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE), em cerimónia presenciada pelos mandatários das seis formações políticas que concorrem às eleições deste ano, colocou na segunda posição a Aliança Nacional Patriótica (APN).

A terceira posição é ocupada pelo Partido de Renovação Social (PRS), seguido do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido no poder desde 1975, da Frente Nacional para Libertação de Angola (FNLA) e da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE). Angola contará com 9.317.294 eleitores nas eleições gerais de agosto, segundo dados oficiais que o Ministério da Administração do Território entregou à Comissão Nacional Eleitoral.

A Constituição angolana aprovada em 2010 prevê a realização de eleições gerais a cada cinco anos, elegendo 130 deputados pelo círculo nacional e mais cinco deputados pelos círculos eleitorais de cada uma das 18 províncias do país (total de 90). O cabeça-de-lista pelo círculo nacional do partido ou coligação de partidos mais votados é automaticamente eleito Presidente da República e chefe do executivo, conforme define a Constituição, moldes em que já decorreram as eleições de 2012.

Pela UNITA, a lista pelo círculo nacional é encabeçada por Isaías Samakuva, presidente do partido e que concorre desta forma à eleição, por via indireta, para Presidente da República. Pela APN, a lista é liderada por Quintino Moreira, seguindo-se Benedito Daniel, líder e cabeça-de-lista do PRS.

João Lourenço, vice-presidente do MPLA e ministro da Defesa, lidera a lista do partido, concorrendo assim à sucessão de José Eduardo dos Santos, chefe de Estado e que, ao fim de 38 anos no poder, já não vai a votos. Pela FNLA concorre, como cabeça-de-lista, o líder do partido, Lucas Ngonda, e pela CASA-CE avança Abel Chivukuvuku, líder e cabeça-de-lista daquela coligação.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)