Depois das versões a gasolina e a gasóleo que serão apresentadas a 13 de Junho, sabe-se já que, segundo as revelações de um técnico coreano à revista alemã Autobild, o SUV compacto da Hyundai terá igualmente direito a uma versão 100% eléctrica, que deverá chegar ao mercado em 2018.

Depois do Hyundai Ioniq ter surgido no mercado, em 2016, com uma versão eléctrica equipada com um motor de 120 cv e uma bateria de somente 28 kWh – manifestamente pouco e que lhe permitia apenas reivindicar uma autonomia de 200 km – não sabíamos bem o que esperar do Kona movido exclusivamente a electricidade. Mas eis que Ahn Byung-Ki, o responsável pelos veículos amigos do ambiente do construtor coreano, resolveu dar uma ajuda.

Em conversa com a Autobild, Byung-Ki começou por admitir o óbvio, ou seja, que a autonomia de 200 km do Ioniq era demasiado pequena, para de seguida revelar que o Kona eléctrico terá uma bateria muito maior, com 50 kWh, o que o irá empurrar para a fasquia dos 350 km entre recargas – o que o coloca abaixo do Renault Zoe, Opel Ampera-E e dos Tesla, mas ao nível das melhores propostas do mercado. E, como estava com as mãos na massa, o engenheiro coreano partilhou ainda o preço expectável para o novo modelo: 35.000€.

Com a produção prevista para 2018, a versão movida a energia eléctrica do Kona – modelo que verá em breve uma versão similar do seu irmão gémeo com emblema Kia, baptizado Stonic – será relativamente fácil de realizar, uma vez que à semelhança do que também aconteceu com o Hyundai Ioniq e Kia Niro, também o Kona/Stonic foram concebidos de raiz para montar motor eléctrico, o que implica possuir uma plataforma preparada para alojar as baterias.

Não foi ainda anunciada a data para a chegada a Portugal do Kona eléctrico, mas é óbvio que deverá seguir a opção dos seus “irmãos” a gasolina e diesel, abdicando do nome que enverga em todos os mercados e substituindo-o por Kauai, que apenas exibirá no nosso país.