O primeiro-ministro irlandês, Enda Kenny, manifestou-se este domingo “preocupado” com a perspetiva de um acordo entre o Partido Democrático Unionista (DUP) e os conservadores de Theresa May, pois poderia afetar o processo de paz na Irlanda do Norte.

Numa conversa telefónica com Theresa May, o primeiro-ministro irlandês mostrou-se “preocupado com o facto de nada dever afetar o Acordo de Sexta-feira Santa” e falou do “desafio que representaria um acordo” entre o Partido Democrata Unionista (DUP) da Irlanda do Norte e os ‘Tories’ britânicos, disse um porta-voz de Enda Kenny em comunicado.

“Falei com a primeira-ministra May. Exprimi a minha preocupação com o facto de que nada deve pôr em causa o Acordo de Sexta-feira Santa e falei da ausência de uma voz nacionalista em Westminster”, disse um pouco depois Kenny na rede social twitter.

Enda Kenny deverá deixar o lugar de primeiro-ministro ao seu sucessor Leo Varadkar na próxima semana.

Os conservadores de Theresa May estão em negociações com o partido protestante ultraconservador DUP, depois de terem perdido a maioria absoluta no parlamento britânico nas eleições legislativas de quinta-feira à noite.

O DUP, principal força política na Irlanda do Norte, defensor da união com o Reino Unido e do ‘Brexit’, elegeu 10 deputados, os quais podem dar a maioria de que os conservadores precisam depois de terem reduzido a sua presença no Parlamento para 318 deputados nas eleições legislativas, menos oito do que precisariam para terem maioria absoluta.