O discurso da Rainha Isabel II, com o programa legislativo do novo governo, estava marcado para o próximo dia 19 de junho. Mas, esta segunda-feira, Theresa May decidiu adiar o votação do programa por “alguns dias” e, com isso, o discurso da Rainha. O porta-voz oficial da primeira-ministra apresentou aos jornalistas uma justificação peculiar: o discurso é escrito em papel de pele de cabra e a tinta demora alguns dias a secar, conta o The Telegraph.

A informação foi revelada pelo próprio governo, que explicou ao The Telegraph que o discurso não será escrito em papel velino, feito de pele de vaca, mas num outro. Apesar de se usar o nome “papel de pele de cabra”, o papel não é realmente feito de pele de cabra. Na verdade, é um papel de arquivo de elevada qualidade que dura pelo menos 500 anos.

Os discursos deixaram de ser escritos em papel velino uma vez que a tinta demorava três dias a secar. A opção pelo papel de pele de cabra foi tomada para solucionar o problema, mas a verdade é que o problema não foi resolvido. Nicholas Watt, jornalista da BBC, escreveu no Twitter que a tinta deverá demorar uma semana a secar.

O discurso da Rainha é escrito pelo governo e contém uma proposta de programa legislativo. Como os conservadores e o Partido Unionista Democrático ainda estão a negociar um acordo, alguns críticos argumentam que a necessidade de a tinta secar está a ser usada como desculpa para permitir um prolongamento das conversas entre os dois partidos.

De acordo com fontes governamentais citadas pelo The Guardian, o discurso da rainha demora uma semana a ser preparado. Para que ficasse finalizado a tempo, os últimos detalhes do deveriam estar acordados na manhã de terça-feira.