Rádio Observador

Lisboa

Dois programas de rádio para Fernando Pessoa no dia dos seus 129 anos

233

Estreia de um documentário radiofónico na Casa Fernando Pessoa e de um programa de rádio 'online', sobre o poeta, destacam-se nas iniciativas para o dia de aniversário do autor de "Mensagem".

Manuel Almeida/LUSA

A estreia de um documentário radiofónico, na Casa Fernando Pessoa, com episódios da vida do escritor, e de um programa de rádio ‘online’, sobre o poeta, destacam-se nas iniciativas desta terça-feira, dia de aniversário do autor de “Mensagem”.

A Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, celebra os 129 anos do nascimento do escritor com a estreia do documentário radiofónico “Não sei o que o amanhã trará: um passeio sonoro na Lisboa de Fernando Pessoa”, de Sofia Saldanha, que recorda a vida do poeta, a época em que viveu e a sua obra, no âmbito da jornada “No tempo em que festejavam o dia dos meus anos”, de acordo com o comunicado da instituição.

Esta terça-feira realiza-se também a primeira emissão de “Fernando Pessoa Para Todas as Pessoas”, na Rádio Movimento PT Online, programa de Ricardo Belo Morais, responsável pelo projeto de divulgação pessoana “O Meu Pessoa” e orientador de visitas guiadas, em Lisboa, ligadas à temática pessoana.

O documentário “Não sei o que o amanhã trará: um passeio sonoro na Lisboa de Fernando Pessoa”, de Sofia Saldanha, será apresentado a partir das 18:30, na Casa Fernando Pessoa, numa conversa com o jornalista Adelino Gomes, nome associado há décadas à reportagem radiofónica, em Portugal.

O trabalho entra “pela porta da rua Coelho da Rocha”, sede da Casa Fernando Pessoa, onde o escritor viveu os últimos 15 anos, e reúne “histórias inéditas, contadas a várias vozes, numa sessão [que tem por objetivo] voltar ao tempo em que a telefonia reunia as pessoas apenas para ouvir”, lê-se no comunicado.

Uma das vozes do documentário é a de Manuela Nogueira, sobrinha do poeta, que recorda D. Irene, a lavandeira: “Entrava pela porta da rua Coelho Rocha, e vinha com um saco de pano-cru debruado com um fitilho vermelho, com um F e um P: Fernando Pessoa”.

O documentário divide-se em 13 segmentos – ou estações -, numa montagem de conversas tidas ao longo de quase três anos, pela realizadora, com vários especialistas pessoanos, revelando “episódios da vida do escritor” e que “tem por base um percurso em Lisboa, real ou metafísico”.

Além de Adelino Gomes e da autora, a sessão, de entrada livre, contará com alguns dos participantes no documentário, entre os quais os investigadores pessoanos Teresa Rita Lopes, Manuela Parreira da Silva e José Barreto, além dos sobrinhos do poeta Manuela Nogueira e Luís Miguel Rosa Dias.

O programa radiofónico “Fernando Pessoa Para Todas as Pessoas”, por seu lado, prolonga o livro homónimo de Ricardo Belo de Morais. O programa passa a estar disponível ‘online’ todas as semanas, de acordo com o comunicado da Rádio MovimentoPT.

A primeira edição de “Fernando Pessoa Para Todas as Pessoas” terá, excecionalmente, a duração de duas horas e meia, entre as 21h30 e as 24h00, e falará de Fernando Pessoa, na Música Portuguesa.

Amélia Muge, Ana Maria Pinto, Fernando Ribeiro, João Afonso, Mafalda Veiga, Rogério Godinho, Samuel Lopes e Sofia Vitória são alguns dos nomes anunciados para a primeira emissão.

O programa “Fernando Pessoa Para Todas as Pessoas” passa a ser apresentado às terças-feiras, das 19:00 às 20:00, e abrirá com um noticiário da atualidade pessoana, seguido da apresentação do tema da semana, sempre em torno de Pessoa e da sua cidade, tendo como convidados investigadores literários, autores, editores e familiares de Fernando Pessoa.

Ricardo Belo de Morais também é colaborador da Casa Fernando Pessoa e da revista Pessoa Plural.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)