Várias famílias portuguesas tinham morada no prédio que ficou esta quarta-feira destruído por um incêndio, em Londres. Uma delas era a família Alves, que vivia no 13º andar. Miguel Alves, o pai, trabalhava na capital inglesa há 25 anos. Estava no elevador quando se apercebeu do incêndio. Saiu de imediato, subiu pelas escadas, mandou a mulher sair e resgatou os filhos.

A aflição dos portugueses que perderam tudo em Londres: “Fiquei com a roupa que tinha no corpo”

Um deles é Inês Alves, de 16 anos. A família perdeu tudo e ficaram apenas com a roupa que tinham no corpo. Mas Inês não perdeu a determinação. Aestudante dirigiu-se à Escola do Sagrado Coração, uma escola secundária católica na zona oeste de Londres onde estuda, para fazer o exame de matemática que estava marcada. “Mas faltei ao meu exame de história à tarde”, lamentou a jovem ao The Guardian.

[Os bombeiros] disseram à minha mãe para dizer ao meu pai para nos mantermos no nosso apartamento em segurança e apenas fechar as janelas e todas as portas. Mas ela não nos chegou a contar a tempo, então acabámos por descer de qualquer maneira. Obviamente, nunca sabia que isto [o incêndio] iria atingir esta dimensão”, contou Inês Alves ao The Guardian.

Inês Alves estava em casa quando o incêndio começou e foi avisada pelo pai, Miguel Alves, que acabava de chegar ao prédio.