Sismo

Sismo de 6.6 na fronteira entre o México e a Guatemala faz dois mortos

Há dois mortos na sequência de um sismo de magnitude de 6.6 na escala de Richter, sentido esta quarta-feira junto à costa, na fronteira entre o México e a Guatemala. Houve réplicas sentidas.

Minutos antes do terramoto registaram-se outros abalos pela região

RITCHIE B. TONGO/EPA

Um sismo de intensidade de 6.6 na escala de Richter foi sentido esta quarta-feira junto à costa, na fronteira entre o México e a Guatemala. Duas pessoas morreram, anunciou o Presidente do país, Jimmy Morales.

Um homem morreu ao cair-lhe em cima uma parede, no distrito meridional de Retalhuleu, ao passo que, no departamento ocidental de Quetzaltenango, uma mulher morreu de paragem cardiorrespiratória devido ao susto que o sismo lhe causou, precisou o chefe de Estado, sem revelar a identidade das vítimas.

Por seu lado, o primeiro relatório oficial da Coordenadora Nacional de Redução de Desastres (Conred) dá conta de três pessoas feridas em San Marcos e duas em Quetzaltenango, bem como mais de 600 pessoas afetadas por danos materiais e mais de 50 casas destruídas.

As autoridades descartam para já a hipótese de tsunami. O terramoto acontece depois de vários abalos sentidos. A informação foi confirmada pelo Instituto Nacional de Vulcanologia, Sismologia, Meteorologia e Hidrologia (INSIVUMEH) guatemalteco.

O terramoto aconteceu às 01h29 locais (08h29 em Lisboa), cerca de 156 quilómetros a nordeste da Cidade da Guatemala, no departamento de San Marcos, que faz fronteira com a região mexicana de Chiapas, tendo sido sentido com força também na capital guatemalteca. O Centro Sismológico Euro-Mediterrânico (EMSC), por seu lado, referiu que o tremor alcançou uma magnitude de 6,9 na escala de Richter, com uma profundidade de 105 quilómetros.

O epicentro deu-se a uma profundidade de 151 quilómetros e provocou cortes de energia em algumas áreas, como nos departamentos de San Marcos, Sucatepéquez e Retalhuleu. A Proteção Civil de Chiapas, no México, tem partilhado o patrulhamento policial que está a ser feito nas ruas.

Na mesma área de fronteira com o México foi registada uma réplica às 01h52, hora local (08h52 horas de Lisboa), segundo o instituto guatemalteco, com uma magnitude de 5.6 na escala de Richter, a 76 quilómetros de profundidade e a uma distância de 59 quilómetros de San Marcos. Minutos antes do terramoto registaram-se outros abalos na costa de Chiapas, no México.

As autoridades locais recomendam que população contacte os números de emergência para mais informações e têm emitido algumas precauções a ter em conta.

O Presidente da Guatemala, Jimmy Morales, no seu Twitter, apelou à calma e aconselhou a população a estar atenta às réplicas.

De acordo com os dados do Instituto guatemalteco, um ferido já foi assistido e muitos têm sido os estragos pelas zonas próximas ao epicentro. Um canal de notícias local tem partilhado algumas dessas imagens no seu Twitter.

A Guatemala, o quarto país do mundo em risco de ameaças naturais, sofre muitos abalos sísmicos. Em 1976, um tremor causou a morte de 23.000 pessoas e destruiu quase um terço do território.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)