O presidente norte-americano, Donald Trump, pronunciou-se pela primeira vez sobre a investigação – que ainda decorre – às alegadas interferências russas nas eleições presidenciais de 2016 e ao despedimento do ex-diretor do FBI, James Comey. Trump acredita que, após sete meses de investigações e audiências, “ninguém conseguiu provar nada”, e clarifica a sua opinião: é “triste”.

Após 7 meses de investigações & comités de audiências sobre a minha “conspiração com os russos”, ninguém conseguiu provar nada. Triste!”, escreve o presidente norte-americano no Twitter.

A equipa da campanha de Trump terá mantido contacto com entidades russas, nomeadamente o seu genro, Jared Kushner, que tentou criar um canal de comunicação que fugisse às secretas norte-americanas, de acordo com escutas divulgadas. Também terá passado informação confidencial a entidades russas, supostamente para fortalecer o combate ao Daesh.

Trump admite pela primeira vez: “Estou a ser investigado”.

Estou a ser investigado por despedir o diretor do FBI pela pessoa que me disse para despedir o diretor do FBI! Caça às bruxas.”

Os comentários de Donald Trump surgem dias depois de o ex-diretor do FBI, James Comey, ter respondido às questões do Comité de Inteligência do Senado sobre as relações do presidente com a Rússia. O mesmo acontecendo com o procurador-geral dos EUA, Jeff Sessions.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR