716kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Eles não podem usar calções? Então vestem saias para protestarem

Este artigo tem mais de 5 anos

Uma escola em Exeter proibiu os alunos de usar calções e eles vestiram saias para protestar contra a regra. Durante a onda de calor, os condutores de autocarros de Nantes tiveram a mesma ideia.

Ao serem proibidos de usar calções com os uniformes escolares e do trabalho, os estudantes e os condutores decidiram utilizar saias para combater o calor e as regras impostas
i

Ao serem proibidos de usar calções com os uniformes escolares e do trabalho, os estudantes e os condutores decidiram utilizar saias para combater o calor e as regras impostas

Ao serem proibidos de usar calções com os uniformes escolares e do trabalho, os estudantes e os condutores decidiram utilizar saias para combater o calor e as regras impostas

“Não há calções. Usem saias, se quiserem”, e eles assim o fizeram. Um grupo de 50 estudantes do ISCA Academy, em Exeter, no Reino Unido, vestiram saias para protestarem contra as novas regras dos uniformes, que proibiam o uso de calções.

Os alunos pediram, por diversas vezes, que se abrisse uma exceção à regra face às temperaturas elevadas que se fazem sentir por toda a Inglaterra, mas todos os seus pedidos foram recusados. Estavam obrigados a usar calças compridas com o resto do uniforme.

Claire Reeves, a mãe de um dos alunos, disse ao Devon Live que o seu filho estava a sofrer com o calor que passava todos os dias.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Eu chamei a escola à atenção várias vezes e eles disseram que se eu deixasse que o meu filho levasse calções para as aulas, ele ficaria de castigo o dia todo e se eu persistisse em deixá-lo usar essa peça de vestuário ele seria suspenso”, declarou Reeves.

Um outro encarregado de educação, que preferiu ocultar a sua identidade, revelou que uma professora lhe disse, num tom sarcástico: “O seu filho pode sempre usar uma saia, se ele preferir”.

Num tom irónico ou não, a verdade é que os estudantes preferiram mesmo usar saias, para combater o calor e as regras impostas pela escola.

A diretora, Aimee Mitchell, acabou por admitir que estava a considerar rever a política de uniformes da escola.

Os condutores que usaram as saias das mulheres

Também os condutores de autocarros da cidade francesa de Nantes foram trabalhar com saias para protestarem contra a proibição de utilizarem calções no trabalho.

As autoridades francesas já tinham avisado a população para tomar medidas que evitassem possíveis consequências do excesso de calor. Por isso, os condutores acharam impensável continuarem a trabalhar de calças.

Em momentos como este invejamos as mulheres. O nosso uniforme não está preparado para estas situações”, declarou Didier Sauvetre, motorista da CFDT, citado pelo Telegraph.

A companhia de transportes Semitan acha inapropriado que os funcionários utilizem calções durante o tempo de serviço. Admitiu poder rever o uniforme de verão, mas a possibilidade dos condutores utilizarem calções está fora de questão. Restam talvez os kilts.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.