O título é Uma Autobiografia mas o livro não conta só a história de Rita Lee, é também uma história do Brasil, através da música e das transformações sociais que aquele país viveu nos últimos 70 anos. Foi publicada no Brasil no ano passado e chegou agora a Portugal pela editora Contraponto.

A capa de “Uma Autobiografia” na versão portuguesa

Da família aos Mutantes, o grupo que influenciou a música popular em todo o mundo; dos anos 70 de vida rock’n’roll aos dias de glória em que conheceu David Bowie, tomou drinks com Tim Maia e se tornou numa referência da cultura brasileira. Rita Lee conta tudo e conta também como o Brasil era em cada uma das etapas da sua vida. Portugal também faz parte deste percurso, como no episódio que surge com o título “Farra em Portugal”. Só um parágrafo para dar uma ideia:

“Essa é boa para contar. Os baianos estavam no exílio quando os Mutas recebem um convite no mínimo suspeito: abrir um show para Edu Lobo no teatro Villaret, em Lisboa, cujo dono era o humorista Raul Solnado. Seria uma piada? Será que que nos confundiram com o MPB4? Pagamos para ver, ou melhor, nos pagaram um caché ridículo para irmos até lá. Sem problema.”

Autobiografia da artista brasileira Rita Lee sai esta semana em Portugal

Não é só a música que faz Uma Autobiografia. É também — ou talvez sobretudo — a vida pessoal de Rita Lee Jones, os dias de infância, os dias na prisão, as relações, os filhos e o ativismo pelos direitos dos animais. E o prefácio é assinado por Rui Reininho, que começa dizendo: “Aqui se revela o apelo irresistível de entrar na dança de Rita Lee Jones num jogo imparável de palavras e obras que nos vem de meados do século passado”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A fotografia também faz parte desta Autobiografia. Na galeria acima revelamos dez das imagens que compõem o livro.