Darren Osborne, o homem que, na última segunda-feira, atropelou mortalmente uma pessoa e deixou várias feridas, no parque Finsbury, no norte de Londres, à porta de uma mesquita, foi acusado de crimes de homicídio e tentativa de homicídio com motivações terroristas. Um porta-voz do Ministério Público disse que o Osborne, detido no próprio dia pelas autoridades inglesas, vai ser presente a tribunal no dia 27 de junho para uma audiência preliminar.

O Ministério Público não clarificou por quantos crimes de tentativa de homicío Darren Osborne terá de responder. Na noite de segunda-feira, as notícias davam conta de que entre nove a 11 pessoas precisaram de receber cuidados médicos e tinham sido encaminhadas para o hospital.

Nesse momento, já era certa a morte de Makram Ali. O homem de 51 anos estava a receber assistência de algumas pessoas, no parque Finsbury, perto de uma mesquita, depois de um problema no joelho o ter atirado ao chão. Foi nesse momento que Osborne irrompeu pelo parque ao volante de uma carrinha e conduziu sobre quem se encontrava no local, atingindo várias pessoas.

Atropelamento no norte de Londres faz um morto. Polícia fala em terrorismo

Esta sexta-feira, em tribunal, onde compareceu acompanhado de elementos da Polícia para ser identificado, Darren Osborne falou apenas para confirmar a sua identidade. Tinha o olho negro, nota o Telegraph. O Ministério Público acusa o homem, desempregado, de ter premeditado o ataque e de ter, deliberadamente, ferido e aterrorizado as pessoas no local.

Atropelamento fatal em Londres. Incidente ou ataque terrorista?

Na reação ao atropelamento, a primeira-ministra Theresa May e a polícia britânica referiram-se ao episódio como tratando-se de um ataque terrorista. “Esta manhã, o nosso país acordou com a notícia de outro ataque terrorista nas ruas da nossa capital: o segundo este mês e tão doentio como aqueles que aconteceram antes”, disse May na terça-feira.