Celebrando, este ano, o seu 60º aniversário, o Mercedes 300 SL Roadster é um dos modelos mais emblemáticos da já longa história do automóvel. Não espanta, por isso, que tenha sido um exemplar do descapotável germânico o automóvel a ser alvo da mais elevada licitação no mais recente leilão levado a cabo pela RM Sotheby’s, em Santa Monica, nos EUA.

Em causa estava um exemplar de 1960, que saiu das linhas de produção pintado de vermelho, mas que agora ostenta um não menos apelativo tom de verde na carroçaria. Recentemente sujeito a um completo restauro, este 300 SL Roadster foi arrematado por cerca de 970 mil euros, verba que incluiu, ainda, toda a documentação que garante a sua conformidade com o original, bem como os livros de bordo, a ferramenta e ao conjunto de malas específicas originais.

15 fotos

Aproximadamente 843 mil euros foi quanto um licitador despendeu para levar consigo para casa um Ferrari F40 de 1992 de cor vermelha, o segundo automóvel mais caro do leilão. Com apenas 25.749 km percorridos, é um dos 1.311 exemplares construídos, encontra-se em perfeito estado de conservação (interior e exterior) e conta com as especificações próprias das unidades destinadas ao mercado norte-americano.

Lançado em 1987, o F40 foi um modelo que, por direito próprio, entrou para história do automóvel ainda antes da sua chegada ao mercado. Com uma velocidade máxima oficial de 320 km/h, alcançada na pista italiana de Nardo (no mesmo dia, e no mesmo local, em que um Porsche 959 alcançou 326 km/h), o modelo criado para celebrar os 40 anos da Ferrari primava pelas inúmeras soluções oriundas da competição de que fazia uso, mais se assemelhando a um carro de corridas com matrículas, por isso se assumindo como um dos expoentes máximos de uma década de ouro para os chamados supercarros.