Até a Porsche se mostra cada vez mais rendida aos automóveis totalmente eléctricos. Em declarações à revista Manager Magazin, o CEO da Porsche, Oliver Blume deu a conhecer novos elementos relativos à estratégia do reputado construtor germânico de desportivos neste particular, acabando por fazer algumas revelações surpreendentes.

No ano passado, Blume já tinha adiantado que o Mission E, o seu primeiro modelo exclusivamente alimentado por baterias, com entrada em produção agendada para 2019, teria uma produção inicial prevista de 20 mil unidades/ano. Um volume que não deixa de ser significativo para um construtor que, em 2016, vendeu um pouco mais de 230 mil unidades.

Só que, agora, o CEO da Porsche foi bastante mais longe, adiantando que a Porsche se prepara já para que, anualmente, e a breve trecho, saiam da sua fábrica de Zuffenhausen 60 mil automóveis eléctricos. Ao que acrescenta a sua previsão de que metade da produção total da marca seja assegurada, já em 2023, por este género de proposta – ou seja, muito mais cedo do que o previsto por qualquer outro fabricante dito tradicional.

Para alcançar este objectivo, a Porsche estará já a preparar o lançamento de um segundo modelo totalmente eléctrico: um novo SUV, desenvolvido a partir do Macan. Ora, se os seus atributos forem tão apelativos quanto os anunciados para o Mission E, não será difícil acreditar na exequibilidade desta meta – assim os preços praticados também o permitam….

Porsche Misson E terá vários níveis de potência

Recorde-se que, para a sua futura berlina desportiva de quatro portas, e que será também o seu primeiro 100% eléctrico, além de um design deslumbrante, a Porsche promete uma autonomia superior a 500 km, 15 minutos para uma recarga de 80% da bateria (num posto de alta tensão de 800 Volt) e uma aceleração 0-100 km/h em menos de 4,0 segundos.