O Conselho Monetário Nacional (CMN) do Brasil informou esta quinta-feira que baixou a meta central de inflação do país para 4,25% em 2019 e 4% em 2020, primeira ação deste tipo adotada em 15 anos.

O Governo brasileiro também determinou que as revisões da meta de inflação serão anunciadas com três anos de antecedência. Foi mantido o intervalo de tolerância é 1,5 pontos percentuais para cima ou para baixo da meta central da inflação, tanto em 2019, quanto em 2020.

O anúncio foi feito pelos ministros das Finanças, Henrique Meirelles, do Planeamento, Dyogo de Oliveira, e pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, num encontro com jornalistas em Brasília

Este ano, a expetativa para a inflação feita por analistas de mercado consultados semanalmente pelo Banco Central no boletim Focus está em 3,48%, abaixo do centro da meta de 4,5%. Para 2018, a projeção é que o Brasil tenha uma inflação oficial de 4,30%.