O livro da escritora e jornalista Louise Milligan sobre o cardeal George Pell, que foi recentemente acusado de crimes sexuais a menores, vai ser retirado das livrarias de Victoria, na Austrália, pela editora Melbourne University Press (MUP), que também vai remover a versão digital do mesmo.

“Cardinal: The Rise and Fall of George Pell”, publicado em maio de 2017, detalha as acusações de crimes sexuais feitas a Pell. Mas, agora que o Cardeal enfrenta um processo criminal e terá de responder a estas acusações em tribunal, os livros foram retirados das prateleiras vitorianas pela editora, já que o livro pode prejudicar o caso.

Louise Adler, a chefe-executiva da MUP, disse que o processo de remoção dos livros foi iniciado na quinta-feira, assim que se soube que Pell tinha sido acusado e que, até ao momento, não tinha recebido nenhum comunicado dos advogados do Cardeal sobre a decisão da editora, de acordo com o que foi avançado pelo The Guardian.

Os vendedores de livros, em Melbourne e Victoria, na Austrália, terão de retirar o best-seller das suas prateleiras e a versão digital do mesmo das suas lojas online. Milligan, a autora do livro, e o seu colega Andy Burns ganharam o ouro nos prémios Quill, em Victoria, por terem divulgado os crimes sexuais que Pell cometeu no seio da Igreja Católica.

O cardeal George Pell dirige a Secretaria da Economia do Vaticano, foi acusado de crimes de abuso sexual de menores, na Austrália, e será presente a tribunal nos próximos dias.

Cardeal George Pell, ‘número três’ do Vaticano, acusado de abuso sexual de menores