Rádio Observador

Venezuela

“Patriota e nacionalista”. Quem é Óscar Pérez, o autor do ataque de helicóptero na Venezuela?

1.130

Pegou num helicóptero, disparou tiros para o Ministério do Interior e lançou explosivos contra o Supremo Tribunal venezuelano. Mas quem é este militar? Conheça Óscar Pérez.

Pérez tem um vasto currículo de experiência militar

Instagram @oscarperezgv

Óscar Pérez pegou num helicóptero, sobrevoou o Ministério do Interior e o Supremo Tribunal da Venezuela, onde começou a disparar tiros e a lançar granadas. Mas quem é este militar que prometeu livrar a Venezuela de um governo corrupto e se juntou à já longa lista de inimigos de Nicólas Maduro?

O homem que sai à rua “sem saber se vai regressar a casa”

Óscar Pérez Integra o Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminais – o CICPC. Tem 16 anos de experiência nesta agência de investigação criminal. Pérez também já foi membro da Brigada de Ações Especiais e chefe da divisão aérea da Polícia Científica.

O nome Óscar Pérez nem é assim tão estranho para alguns venezuelanos. Na verdade, o militar tem também uma veia de ator e co-produtor. Em 2015 fez uma participação no filme Morte Suspensa, que retratava um sequestro verídico de um empresário português em Caracas e a forma como as forças de segurança o resgataram. No filme, Pérez era, curiosamente, piloto de um helicóptero, mergulhador de combate e paraquedista livre.

O “guerreiro de Deus”

Investigador do CICPC, Piloto de aeronaves, Operador tático, Especialista, Instrutor de K9 [treino de cães], Fundação GV33 [fundação que se dedica a crianças carenciadas]. Venezuela, a minha nação e a minha paixão.”

É desta forma que Óscar Pérez se dá a conhecer na sua conta de Instagram [entretanto apagada pela empresa]. Foi, aliás, nessa rede social que se apresentou, recentemente, como um “patriota e nacionalista”, que integra uma “coligação de funcionários militares, polícias e civis”, que procura encontrar um equilíbrio e combater o governo “transitório e criminoso” venezuelano. Ao longo de cinco vídeos – que conseguimos ter acesso através de outras contas do militar – jura um combate à tirania do governo de Maduro e uma luta pela esperança, incitando os venezuelanos a sair às ruas. Termina ao apresentar-se – a ele e ao grupo de encapuçados – como os “guerreiros de Deus”.

O primeiro dos cinco vídeos do militar, no seu Instagram.

Paraquedismo, mergulho ou simplesmente a perito em armas, o militar não esconde as suas capacidades. Óscar Pérez fazia também regularmente visitas a organizações de caridade, onde gostava de ajudar crianças carenciadas.

Rescatemos Venezuela ????????

A post shared by Oscar Perez (@oscarperezvg1) on

A defesa de causas parece ser um característica bem vincada. Por isso se terá feito acompanhar de uma bandeira onde se lia “350 Liberdade” no helicóptero utilizado para o ataque. A mensagem aludia ao artigo da Constituição venezuelana invocado pela oposição para uma desobediência civil ao governo de Maduro pela falta de garantias democráticas.

Óscar Pérez está ser investigado por “vínculos à Agência Central de Inteligência” e à embaixada dos Estados Unidos, revelou o ministro de Comunicação da Venezuela, Ernesto Villegas. Fonte do Governo diz ainda que está ainda a ser investigado por alegadamente ter mantido contactos com a CIA e por um plano de tentativa de golpe de Estado. O governo caracteriza a sua conduta como “ofensivas conduzidas por fatores extremistas da direita venezuelana com o apoio de governos e de poderes estrangeiros”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Socialismo

Má-fé socialista /premium

José Miguel Pinto dos Santos
181

Não é a situação social em Portugal muito melhor que na Venezuela — e que nos outros países socialistas? Sim, mas quem está mais avançado na implantação do socialismo, Portugal ou Venezuela?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)