A Comissão Europeia decidiu esta sexta-feira estender, a partir de 01 de julho e até 30 de junho de 2018, o programa de ajuda para os produtores de frutas frescas fazerem face ao embargo da Rússia.

O esquema de ajudas, no valor de 70 milhões de euros, destina-se a retirar do mercado produtos que não são escoados devido ao embargo russo e a ajudar a que sejam distribuídos a organizações de caridade ou usados para alimentação de animais, por exemplo.

A ajuda abrange quatro grupos de frutos: maçãs e peras, ameixas, citrinos e pêssegos e nectarinas, sendo elegíveis 935 toneladas de peras e maçãs em Portugal.

A Rússia vai prolongar o embargo a produtos alimentares oriundos do Ocidente por mais 18 meses em reação à decisão da União Europeia (UE) de prorrogar até janeiro de 2018 as sanções económicas contra Moscovo.

O anúncio de Moscovo aconteceu um dia depois do Conselho da UE ter prorrogado até 31 de janeiro de 2018 as sanções económicas à Rússia por incumprimento dos Acordos de Minsk, relativos a um possível cessar-fogo no leste da Ucrânia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR