O presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, estima que os prejuízos causados pelo incêndio que assolou o seu concelho e os municípios limítrofes, esteja para lá dos 500 milhões de euros.

Em declarações à RTP, Valdemar Alves afirmou: “Ainda não temos tudo levantado. Fez-se o levantamento pelo Governo. Em relação àquilo que me dói, é que não podemos só pensar nos prejuízos agora. Seja para os prejuízos causados nos três concelhos, parece-me muito pouco. Está acima dos 500 milhões para estes três concelhos. No mínimo 500 milhões! Estamos a falar de um projeto global“.

Mais tarde, em declarações à Agência Lusa, Valdemar Alves falou de outro valor: “Pelo menos 250 milhões de euros“. Em declarações posteriores a outros jornalistas, o autarca de Pedrógão Grande preferiu não avançar nenhum número. Sublinhando que o prejuízo é “incalculável”, Valdemar Alves preferiu aguardar pelo relatório da CCDR (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro) antes de tornar a falar em números.

“Vamos deixar na mão do Governo a consciência e a publicidade da realidade dos prejuízos”, disse o autarca, destacando que não quer voltar a falar em valores concretos. Considerando o valor apresentado pelo ministro “razoável”, mas apenas para “a agropecuária”, Valdemar Alves sublinhou que, quanto ao resto, é necessário “fazer as contas” e esperar que o Governo atribua a verba correspondente aos municípios afetados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Governo: 20 milhões em prejuízos agrícolas

O primeiro valor avançado para os prejuízos causados pelo fogo foi o do Governo: 20 milhões de euros. Foi o próprio ministro da Agricultura, Capoulas Santos, que afirmou, no Parlamento, que “neste momento, o ministério da Agricultura já tem quantificados todos os prejuízos [agrícolas] naquela região de Pedrógão Grande. Esses prejuízos ascendem a cerca de 20 milhões de euros e encontraremos seguramente, teremos seguramente, capacidade financeira para lhe dar resposta, assim como reforçar as equipas de sapadores este ano”.

Incêndios de Pedrógão fizeram 20 milhões de prejuízos

Mas, além dos prejuízos para a agricultura, outros prejuízos já começam a ser conhecidos. Para já, sabe-se pelo menos que ficaram destruídas 500 casas e 40 empresas, no total da área do incêndio. Pelo menos 350 postos de trabalho foram afetados pelos incêndios na região, tanto em Pedrógão Grande como nos concelhos limítrofes que foram atingidos, estando 20% desses empregos em risco se não forem tomadas medidas, anunciou na quinta-feira o Governo.

No Parlamento, Capoulas Santos sublinhou ainda que de acordo com a lei nacional e com as diretivas comunitárias da UE, os agricultores prejudicados poderão receber compensações pelos prejuízos entre 50% e 80% do total das perdas. “Cada um dos agricultores terá agora apresentar uma candidatura com a identificação precisa dos prejuízos“, afirmou o governante. As candidaturas deverão ser abertas “dentro de poucos dias”, acrescentou.