A Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou este sábado para 1.500 o número de mortos por cólera no Iémen, entre 246.000 infetados, desde que se detetou o primeiro surto, a 27 de abril.

Em conferência de imprensa, o representante da OMS no Iémen, Nevio Zagaria, considerou que a situação é “muito grave” e indicou que a epidemia se propagou por 21 das 23 províncias iemenitas e por 285 dos 333 municípios. Segundo a mesma fonte, na sexta-feira registaram-se os dois primeiros casos na província de Hadramaut, no sudeste do país.

A cólera é uma infeção intestinal aguda causada pela ingestão de alimentos ou água contaminada com a bactéria “vibrio cholerae”, que não apresenta sintomas nos casos mais moderados, mas nos mais graves pode provocar a morte em poucas horas se o doente não receber tratamento.

Na terça-feira, a organização anunciou que o número de mortos por cólera no Iémen era de 1.400 e o de infetados 218.000.