A 17 de maio era notícia que Lucinda Chambers, diretora da Vogue britânica durante 25 anos, estava de saída. A sua partida deixou muitos de boca aberta, mas o fator surpresa estava longe do fim. No início deste mês, Chambers contou em entrevista que, depois 36 anos a trabalhar na mesma publicação, foi despedida no decorrer de uma conversa de três minutos. “Ninguém no edifício sabia que o despedimento ia acontecer”, disse, à exceção de quem o fez — o novo diretor, Edward Enninful, o qual chamou para a nova equipa nomes tão pesados como Kate Moss, Naomi Campbell e Steve McQueen, no papel de editores colaboradores.

View this post on Instagram

Lucinda Chambers is to step down from her position as fashion director of British Vogue. She will depart this summer after a career spanning 36 years at the publication. "Lucinda has been the most wonderful creative collaborator, as well as friend, throughout my whole editorship," said Alexandra Shulman today. "She has produced many of the most influential and inspiring fashion shoots in the world during her time as fashion director of this magazine as well as a huge number of our most remarkable covers. It is impossible to overstate her vision, commitment, imagination and her ability to bring the best out of teams that work with her." Read more via the link in bio. Photograph by @garconjon for @britishvogue

A post shared by British Vogue (@britishvogue) on

Quando a entrevista foi divulgada, a publicação online de moda Vestoj viu-se forçada a apagá-la temporariamente de tanta que foi a polémica. Entretanto o artigo foi reposto, embora se leia em nota do editor que, depois de terem sido contactados por advogados, a entrevista original sofreu algumas alterações — quais não sabemos. Edições de texto à parte, são muitas as frases polémicas da ex-diretora, das quais reunimos as que podem ser consideradas as mais impactantes.

  • Há poucas revistas de moda que nos fazem sentir empoderadas. A maior parte delas deixam-nos totalmente ansiosas, por não darmos o tipo de jantar certo, por não pormos a mesa da forma correta ou conhecer as pessoas certas. Verdade seja dita, há anos que não lia a Vogue.”
  • “Não nos é permitido falhar na indústria da moda, sobretudo na era das redes sociais, onde é tudo sobre como levar uma vida de sucesso e incrível.”
  • “Consegue-se ir longe na indústria da moda se tivermos um look fantástico e confiante (…) Honestamente, conseguimos ir muito longe só com isso. A moda está cheia de pessoas ansiosas. Ninguém quer ser a pessoa que fica de fora.”
  • “Os homens de negócio querem que os criativos ajam como homens de negócios; todos querem mais e mais, cada vez mais depressa. As grandes empresas exigem demasiado dos seus designers. É muito difícil. Esses designers vão ter problemas de bebida e de droga. Eles vão ter colapsos nervosos. É demasiado pedir a um designer para fazer oito, em alguns casos 16, coleções por ano. Eles fazem-nas, mas fazem-nas mal — e depois são despedidos. Falham de uma forma muito pública.”