O Governo português deverá escolher a cidade do Porto para acolher a Agência Europeia do Medicamento (EMA), revela esta quinta-feira o jornal Público. O Brexit obrigará a EMA, até agora com sede em Londres, a mudar-se para outro país da União Europeia, e Portugal manifestou desde o início do processo a intenção de se candidatar.

A escolha da cidade a apresentar na candidatura tem gerado polémica: inicialmente, em abril, o Governo escolheu Lisboa e o Parlamento saudou, por unanimidade, a decisão. Mas o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, mostrou-se contra a decisão, afirmando que a cidade também tinha intenção de se candidatar.

Costa diz a Rui Moreira que quer Agência Europeia do Medicamento em Lisboa

Vários deputados que antes tinham votado positivamente na saudação à escolha da cidade de Lisboa também aproveitaram a contestação da autarquia do Porto para se juntarem ao coro de críticas e aplaudirem a decisão do Governo de reabrir o processo de análise da cidade a propor, que tem sido levado a cabo por uma Comissão Nacional de Candidatura (CNC) criada especificamente para o efeito.

De acordo com o que é avançado pelo Público, a CNC, que desde a reabertura do processo conta com um representante do Porto, escolheu mesmo a cidade como melhor opção para receber a agência, e o Governo deverá aceitar a proposta da comissão sem questionar. A decisão final, escreve o jornal, será comunicada oficialmente esta quinta-feira, depois da reunião do Conselho de Ministros.

Sondagem. Maioria dos portugueses quer Agência Europeia do Medicamento em Lisboa