Uma ex-milionária japonesa conhecida como Black Widow (Viúva Negra) admitiu ter envenenado o seu quarto marido, durante o julgamento em que é suspeita de ter morto também os seus anteriores parceiros.

O julgamento começou em junho deste ano, mas agora a mulher surpreendeu o tribunal ao admitir que matou o seu mais recente marido, em dezembro de 2013.

Eu estava à espera do tempo certo, eu queria matá-lo porque o odiava profundamente”, disse Chisako ao jornal Asahi, citada pelo The Guardian.

Chisako Kakehi, de 70 anos, tornou-se popular por ter sido acusada de ter morto vários homens idosos com quem estava envolvida. A sua alcunha foi inspirada na aranha que mata o companheiro após a cópula.

A mulher é suspeita do assassinato de três homens e da tentativa de assassinato de outro. Utilizava uma substância tóxica, o cianeto. A sua motivação principal era ficar com a apólice do seguro das vítimas. Pensa-se que já terá acumulado um bilião de yenes.

O tribunal de Quioto disse, no ano passado, que os exames médicos a Kakehi mostraram que ela tinha demência num estado ainda inicial e que estava apta para ser julgada. Mas, os advogados utilizam a sua perda de consciência para justificar os crimes da qual é acusada, arguindo que ela não pode ser considerada culpada. Se o for poderá enfrentar pena de morte.

Asahi disse, na passada segunda-feira: “Eu ficaria feliz se morresse, dêem-me uma droga agora“.

A japonesa mantinha relações com muitos homens, a sua maioria idosos ou doentes, que conhecia através de agências de encontros. O seu perfil nesse tipo de sites tinha a informação de que só procurava parceiros que fossem ricos e sem filhos.

Os procuradores do caso dizem que os homens eram mortos depois de a tornaram beneficiária do seguro de vida, que valia milhões de dólares. Porém, grande parte do dinheiro que ‘ganhou’ já o gastou em investimentos financeiros.

A polícia encontrou vestígios de cianeto no lixo da casa de Kakehi, no sul de Quioto. Também foram encontrados objectos para administrar drogas.

A audiência final do caso deverá ser realizada em outubro e o veredito final será conhecido em novembro.